Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/9473
Título: Queijo Saloio : the woman who stared at goats
Autor: Câmara, João Miguel Andion Boullosa Perry da
Orientador: Guedes, Nuno
Data de Defesa: 9-Jan-2012
Resumo: Founded in 1968 by Vitório Alves and built upon the belief that “good milk makes a good cheese”, Queijo Saloio was Portugal’s most innovative cheese company. Under the supervision of Clara Moura Guedes, the organization conquered its place as leader in the cheese specialties segment. Such accomplishment was made through the creation of a diversified portfolio and strong positioning in the goat cheese market. Despite having reached 26 million Euros in revenues in 2008, Queijo Saloio’s sales progressively decreased until 2011. In three years, the third largest organization in the Portuguese cheese market was being threatened by the macro-­‐environment and the empowerment of large retailers’ private labels. In face of adversity, Clara Moura Guedes was weighing the hypothesis of expanding to Angola, an option that had been previously looked into in 2009. Saloio’s path is an interesting subject of discussion, as it includes topics of product differentiation, positioning, the private labels phenomenon and internationalization. In this sense it may be analyzed in any marketing or strategy course, supported by the theoretical concepts proposed in a literature review. The proposed reflection focuses mainly on the drawing of potential solutions to Queijo Saloio’s problems, assessing the viability of the expansion to Angola.
Fundada em 1968 por Vitório Alves e construída sob o princípio que “bom leite faz um bom queijo”, a Queijo Saloio era a empresa de queijos mais inovadora em Portugal. Com a supervisão de Clara Moura Guedes, a companhia conquistou o seu lugar como líder no segmento de especialidades do queijo. Este feito foi conseguido através da criação de um portfólio de produtos diversificado e um posicionamento forte no mercado do queijo de cabra. Apesar de ter atingindo 26 milhões de euros em receitas em 2008, as vendas da Queijo Saloio decresceram progressivamente até 2011. Em três anos, a terceira maior empresa no mercado de queijos em Portugal estava a ser ameaçada pelo ambiente macro e pela crescente força das marcas brancas dos grandes distribuidores. Face à adversidade, Clara Moura Guedes considerava a hipótese de expandir para Angola, opção que tinha sido estudada em 2009. O caminho da Saloio é um tema interessante de discussão pois inclui tópicos como a diferenciação do produto, posicionamento, fenómeno das marcas brancas e internacionalização. Neste sentido pode ser analisado em qualquer curso de marketing ou de estratégia, suportado por conceitos teóricos proposto na revisão de literatura. A reflexão proposta foca-­‐se essencialmente no desenvolvimento de potenciais soluções para os problemas da Queijo Saloio, analisando a viabilidade da expansão para Angola.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/9473
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
FCEE - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Queijo Saloio Final Version João Perry da Câmara.pdf5,74 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.