Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/9274
Título: Vivências dos médicos de família na abordagem do tema morte com doentes em fim de vida
Autor: Morais, Ana Sofia Santiago
Orientador: Vieira, Margarida M. S.
Data de Defesa: Dez-2010
Resumo: A Comunicação com o doente terminal é fundamental. Em Portugal esta área permanece pouco explorada em termos de investigação, nomeadamente no que concerne a Comunicação sobre a Morte e o Morrer com doentes terminais por parte dos médicos de família. O objectivo deste trabalho é explorar as vivências dos médicos de família portugueses na abordagem do tema Morte com doentes em fim de vida. O método usado para colheita de dados neste estudo foi a entrevista semi-estruturada. Foram realizadas 9 entrevistas com médicos de família portugueses incluídos na amostra por bola de neve. A análise da informação permitiu identificar duas categorias, o Doente Terminal e o Médico de Família. Todos os entrevistados identificaram nas suas entrevistas alguma característica individual (160 unidades de registo) e relativamente ao doente terminal (86 unidades de registo) que influencia o seu comportamento; estas unidades de registo distribuíram-se por várias subcategorias de acordo com as semelhanças encontradas na informação obtida em cada entrevista. Da investigação realizada saliento: os médicos de família entrevistados dificilmente abordam o tema Morte com os seus doentes terminais; as vivências dos médicos de família são condicionadas por receios e percepções baseadas nos seus próprios conceitos pessoais e falta de preparação nesta área, o que dificulta a abordagem deste tema e por cada doente individualmente; a dificuldade que os entrevistados apresentam na área da Comunicação, principalmente do tema Morte.
Communication with the Dying Patient is fundamental. In Portugal this is a much unexplored research, specially the Communication about Death by general practitioners to their terminal patient. The aim of this work is to explore the experiences of portuguese general practitioners in Communicating about Death with their Dying Patient. The chosen method was the semi-structured interviews and so 9 interviews were conducted to Portuguese General Practitioners included in a snow ball sample. The analyses of the information allowed the identification of two categories: the Terminal Patient and the General Practitioner. All participants identified in their interviews some individual characteristic (160 register units) and aspects of the terminal patient (86 register units) which influence the participant’s behaviour; these register units where subsequently gathered in various subcategories according to its key ideas. I highlight the following ideas from the investigation conducted: the participants hardly ever communicate about Death with their terminal patients; most of the experiences gathered are influenced by the General Practitioners’ fears and their perceptions based on personal concepts and lack of acquired skills, which makes Communication more difficult, and by each individual patient; the participants don’t feel comfortable Communicating about Death.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/9274
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
ICS(P) - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Vivências dos Médicos de Família na abordagem do tema Morte com Doentes em fim de vida.pdf873,75 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.