Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/9257
Título: Avaliação psicogeriátrica e institucionalização
Autor: Magalhães, Ana Sofia da Silva
Orientador: Fonseca, António Manuel
Data de Defesa: Jul-2012
Resumo: Os estudos sobre o envelhecimento têm ocupado um lugar de destaque no domínio da psicologia do envelhecimento, na medida em que as alterações físicas, psicológicas e sociais interagem de forma ininterrupta, onde cada uma afecta e é afectada. Por outro lado, as alterações de cariz demográfico, social e económico levou a que algumas famílias transferissem a responsabilidade de cuidar das pessoas idosas para os lares de idosos. Todavia, a institucionalização de pessoas idosas em lares provoca mudanças no equilíbrio físico, psicológico e social, estando mais propensas ao isolamento, à depressão, ao declínio cognitivo e a maiores problemas de mobilidade. Este trabalho assume que existem variações significativas relacionadas com a passagem do tempo e o estado de saúde, autonomia e níveis de independência em idosos institucionalizados. Especificamente, procura compreender como a passagem do tempo (de Novembro/Dezembro a Abril/Maio) influencia a funcionalidade de idosos institucionalizados. O estudo apresentado foi realizado junto de 24 idosos institucionalizados na Santa Casa da Misericórdia de Penafiel. Os participantes responderam às Escalas de Avaliação Psicogeriátrica (Fonseca et al., 2008) para a avaliação psicogeriátrica, nomeadamente saúde, depressão e cognição. Os principais resultados evidenciam que ao contrário do que era esperado, na escala de Acidente Vascular Cerebral (AVC), em Abril/Maio os idosos institucionalizados apresentam uma melhoria em termos de saúde cérebro-vascular comparativamente com Novembro/Dezembro. Relativamente à escala de Depressão, salientam-se a presença de um declínio progressivo do estado de humor com a passagem do tempo. Em relação ao Compromisso Cognitivo, a maioria dos participantes, com a passagem do tempo, evidenciaram maiores dificuldades na memória e em outras funções cognitivas. Todavia, estas diferenças não são significativas provavelmente devido ao curto período de tempo decorrido. Os resultados obtidos são discutidos à luz da literatura sobre a institucionalização como factor de risco na funcionalidade dos idosos.
Studies on aging have occupied a prominent place in the field of psychology of aging, in that the physical, psychological and social changes interact uninterruptedly, where each one affects and is affected. On the other hand, the demographic, social and economic changes had led some families to transfer the responsibility of taking care of older people to the nursing homes. However, the institutionalization of elderly people in nursing homes leads to changes in the physical, psychological and social balance, being more prone to isolation, depression, cognitive decline and greater mobility problems. This study assumes that there are significant variations related to the passage of time and state of health, autonomy and independence levels in institutionalized elderly. Specifically, seeks to understand how the passage of time (from November / December to April / May) influence the functionality of the institutionalized elderly. The present study was conducted among 24 institutionalized elders in Santa Casa da Misericordia de Penafiel. The participants answered to the Psychogeriatric Assessment Scales (Fonseca et al., 2008) for the psychogeriatric assessment, namely health, depression and cognition. The main results show that contrary to what was expected, in the stroke scale, in April / May, institutionalized elderly shows an improvement in terms of cerebrovascular health compared to November / December. With regard to the Depression scale, should be noted the presence of a progressive decline in the mood with the passage of time. Regarding the Cognitive Impairment, most participants, with the passage of time, showed the greatest difficulties in memory and other cognitive functions. However, these differences are probably not significant due to the short period of time elapsed. The results are discussed in light of the literature on institutionalization as a risk factor in the functionality of the elderly.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/9257
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
FEP - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação.pdf1,2 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.