Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/9231
Título: Formação professional, a ancoragem da formação no trabalho real e envelhecimento
Autor: Freitas, Inês Santos Fernandes Pinto de
Orientador: Fonseca, António
Fernandes, Joana
Palavras-chave: Formação profissional
Envelhecimento
Formação e trabalho real
Fases do ciclo formativo
Vocational training
Ageing
Taining and real work
Phases of the training cycle
Data de Defesa: Dez-2011
Resumo: O processo de envelhecimento a que se tem assistido, associado ao facto de a passagem à reforma ser cada vez mais tardia (Comissão Europeia, 2004), tem conduzido a uma sensibilização da sociedade em geral para a incontornável necessidade de se manterem os trabalhadores mais velhos em situação de emprego, durante mais tempo (Hessel, 2008). A formação contínua assume, neste contexto, uma via possível para fazer face às novas necessidades ligadas às permanentes evoluções da sociedade através de uma valorização e actualização profissional. Contudo, a literatura tem evidenciado que a participação em formação tende a diminuir com a idade (Instituto Nacional de Estatística [INE], 2009b). O presente estudo tem como finalidade explorar as representações sobre a relação entre envelhecimento e formação, dos intervenientes integrados em determinados contextos organizacionais. O acesso a estas representações tornou-se possível através do contacto com diferentes actores organizacionais. Assim, pretendeu-se compreender as representações dos trabalhadores e, por outro lado, as dos empregadores, sendo que a nossa amostra envolveu nove participantes, dos quais dois eram empregadores (representantes organizacionais) e sete trabalhadores, de duas organizações distintas. Tendo como orientação os princípios da Grounded Therory, procedeu-se ao tratamento de dados e posterior análise dos mesmos. Constatou-se, de um modo geral, que as significações dos trabalhadores e dos empregadores se revelam idênticas no que concerne ao desenvolvimento da formação. Os trabalhadores avaliaram positivamente a sua participação em formação, dado que a consideram uma mais-valia, não a concebendo, contudo, como um contributo para a sua actividade de trabalho. Por sua vez, os empregadores salientaram a importância da realização da formação, sendo este facto eiterado através da obrigatoriedade de participação na mesma. No que concerne aos trabalhadores mais velhos, evidenciou-se a sua resistência à participação em formação. Compreendemos, ainda, que o trabalho desenvolvido pelos trabalhadores parece não ser considerado para a concepção da formação e para as restantes fases do ciclo formativo.
The ageing process in the last few decades, along with the retirement age being increased (European Commission, 2004), has increased the awareness in society for the need to retain older workers in employment status for a longer period of time (Hessel, 2008). In this context, continuous training is one of the solutions to cope with the new requirements that are related to the permanent changes of society and the need for professional updating. However, literature has shown that the participation in training activities tends to decrease with age (Instituto Nacional de Estatística [INE], 2009b). This study aims to explore the representations of the relationship between ageing and vocational training of the participants in certain organizational contexts. The access to these representations became possible through the contact with various organizations. On the one hand, we sought to understand the representations of workers and, on the other hand, of the employers. Our sample involved nine participants, two employers (organizational representatives) and seven workers of two separate organizations. Having as guidance the principles of Grounded Theory, we proceeded to the subsequent data processing and analysis. In general, we found that the significations of workers and employers are identical regarding the development of training. Although the workers have evaluated training positively, regarding it as an added value, they do not conceive it as a contribution to their daily work activity. Employers, however, stressed the importance of conducting such training activities, thus imposing mandatory participation. With regard to older workers, there was resistance to their participation in training sessions. We realize that the work undertaken by the workers seems not to be considered in the design of training and in the remaining phases of the training cycle.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/9231
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
FEP - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação de mestrado - Inês Pinto de Freitas.pdf495,26 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.