Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/9229
Título: Qualidade de vida, satisfação com o suporte social e o funcionamento social na esquizofrenia : estudo comparativo entre doentes residentes na comunidade e institucionalizados
Autor: Carneiro, Ana Rita Gonçalves
Orientador: Campos, Luisa
Palha, Filipa
Palavras-chave: Esquizofrenia
Doentes institucionalizados
Doentes na comunidade
Dualidade de vida
Satisfação com o suporte social
Funcionamento social
Schizophrenia
Inpatients
Outpatients
Quality of life
Social support satisfaction
Social functioning
Data de Defesa: Jul-2012
Resumo: mudança de paradigma na área da psiquiatria que tem vindo a ocorrer nos últimos anos com o processo de desinstitucionalização pressupõe o desenvolvimento de estruturas e respostas de integração na comunidade. No entanto, em Portugal,estes serviços não se coadunam com o estado da arte nesta matéria. Neste sentido, este trabalho teve como principal objetivo, avaliar se existem diferenças entre viver na comunidade ou institucionalizado em pessoas com diagnóstico de esquizofrenia. Desta forma, este estudo comparou a qualidade de vida (QV), a satisfação com o suporte social (SSS) e o funcionamento social (FS) em doentes com esquizofrenia a viver na comunidade (N = 15) ou institucionalizados (N = 15). Para tal, foram utilizados os seguintes instrumentos, Questionário Breve de Qualidade de vida da Organização Mundial da Saúde – WHOQOL- bref (WHOQOL GROUP, 1998; versão portuguesa de Vaz-Serra, et al., 2006), Escala de Satisfação com o Suporte Social – ESSS (Pais-Ribeiro, 1999b) e Escala de Desempenho Pessoal e Social - PSP (versão portuguesa de Brissos, Palhavã, et al., 2011). Contrariamente às hipóteses levantadas e ao que é defendido pela literatura, não foram registadas diferenças significativas entre os dois contextos em nenhuma das variáveis avaliadas. Terminamos com uma breve reflexão sobre as principais conclusões e limitações do estudo, bem como, com sugestões para investigações futuras
The change of paradigm in the field/area of psychiatry that has been happening in the last years with the deinstitutionalization process requires the development of structures and responses of community integration. However, in Portugal, these services are not consistent with the state of the art in this field. In this sense, the main goal of this study was to evaluate whether there are major differences between living in the community or institutionalized in people with schizophrenia. In this way/therefore, we compared the quality of life, social support satisfaction and social functioning in patients with schizophrenia living in the community (N = 15) or institutionalized (N = 15). To this end, we used the following instruments, the Brief Questionnaire of Quality of Life World Health Organization - WHOQOL-BREF (WHOQOL Group, 1998, Portuguese version of Vaz-Serra, et al., 2006), the Social Support Satisfaction Scale - ESSS (Pais-Ribeiro, 1999b) and Personal and Social Performance Scale - PSP (Portuguese version of Brissos, Palhavã, et al., 2011). Contrary to the study hypotheses and it is argued in the literature, no significant differences were founded between the two contexts in any variable. We end up with a brief reflection of the main conclusions, limitations of the study, and with some suggestions for future investigations.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/9229
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
FEP - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
dissertaçãomestrado_9JULHO.pdf991,7 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.