Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/8840
Título: Bacterial diversity and antibiotic resistance from the water source to the tap
Autor: Moreira, Ivone Cristina Vaz
Orientador: Rodrigues, Célia Maria Manaia
Nunes, Olga Cristina Pastor
Data de Defesa: 31-Mai-2012
Resumo: Water is one of the most important habitats for bacteria in the environment. The continuous flux in the urban water cycle carries water through many places, dragging bacteria and numerous chemical contaminants. This makes of water one of the most important vehicles, not only for the dissemination of the chemical substances, but also for the dissemination of organisms and, consequently, the respective resistance genes in the environment. The main goal of this study was to investigate if drinking water production and distribution could represent a hotspot for the proliferation, selection or incoming of antibiotic resistant bacteria, and the likelihood of these organisms to reach the final consumer, via tap water. In order to meet this objective, the study was planned aiming the tracking of bacterial communities and individual isolates from the source to the tap. Firstly, the abundance and diversity of bacteria in raw, treated and final (tap) water was characterized using culture-dependent and culture-independent (16S rRNA-DGGE) approaches. Both approaches showed that the water treatment reduced the bacterial counts, diversity and cultivability, promoting also a shift in the cultivable bacterial community from predominantly Gram-negative to predominately Gram-positive bacteria. Nevertheless, this effect was reverted, and in tap water Gram-negative bacteria became predominant. Moreover, in tap water total and cultivable bacteria counts were higher than in the disinfected water collected from the distribution system. These results suggest the occurrence of bacterial regrowth and/or biofilm formation over the distribution system or at tap level. Although changes in the bacterial community structure over the water circuit were observed, the predominant phylum detected, by 16S rRNA-DGGE, was the same in all the sampling points – Proteobacteria (mainly of classes Alpha, Beta and Gamma). Culture-dependent and culture-independent approaches were compared to assess which groups might be overlooked by cultivation procedures. In order to have a clear evidence of the bacterial groups which could be overlapped using those procedures, culture-dependent and two culture-independent (16S rRNA gene based DGGE and 454 pyrosequencing) methods were compared for their ability to survey the bacterial diversity of a sample. Such a comparison showed that although the different methods detected the same predominant phyla, different bacteria were targeted. Thus, besides the previous expectation that culture-independent methods would detect more bacterial groups than cultivation methods, it was also concluded that both approaches target different bacterial populations. Based on the study of the bacterial diversity, mainly of cultivable bacteria, and in the literature available, two of the most relevant taxonomic groups detected in drinking waters, due to the widespread distribution and/or abundance, were further studied. Thus, Sphingomonadaceae and Pseudomonas spp. isolated from the source to the tap were studied for species diversity, intra-species variability and potential to spread antibiotic resistance. Although members of the same species were detected in different sampled sites, the same genotype was never detected in raw water and in tap water. According to these results, the hypothesis that bacteria detected in tap water had origin in the water source had to be rejected. Other hypotheses, namely the occurrence of regrowth in water pipelines or taps or an external contamination downstream the sampled sites in the distribution system, emerged from this study. Additionally, the analysis of the antibiotic resistance profiles confirmed that both Sphingomonadaceae and Pseudomonas spp. are potential reservoirs of antibiotic resistance. Nevertheless, clear evidences of horizontal gene transfer were not obtained in this study. Indeed, antibiotic resistance patterns were mainly species-, rather than site- or strain-related, suggesting the importance of vertical resistance transmission in water bacteria. Some antibiotic resistance phenotypes were observed in tap water but not upstream. Examples of this situation were the resistance phenotypes to ampicillin-sulbactam, piperacillin plus tazobactam-pyocyanin, imipenem, ceftazidime, cefepime, gentamicin or tobramycin in Sphingomonadaceae, or to streptomycin and rifampicin in Pseudomonas spp. Cultivation-independent methods show invariably that most of the bacteria in a community are unknown, which means that were never cultivated, characterized and integrated in a validly named taxonomic group. Bacterial taxonomy can have a contribution to gradually narrow the tranche corresponding to the unknown bacteria. In this study a new species name Bacillus purgationiresistens sp. nov. was proposed, based in a single isolate recovered from treated water. Drinking water was confirmed as a potential hotspot for the spreading of antibiotic resistant bacteria, with emphasis on the transfer environment-humans.
A água é um dos habitats mais importantes para as bactérias no ambiente. O fluxo contínuo da água, nomeadamente ao longo do seu ciclo urbano, faz com que chegue a muitos locais, arrastando microrganismos e inúmeros contaminantes químicos. Isto faz da água um dos veículos mais importantes para a disseminação no ambiente, não só de substâncias químicas, mas também de bactérias e, consequentemente, dos respetivos genes de resistência. O principal objetivo deste estudo foi investigar se a produção e distribuição de água de consumo poderá representar um ponto-chave para a proliferação, seleção e entrada de bactérias resistentes a antibióticos, bem como a probabilidade de estes organismos chegarem até ao consumidor final, através da água da torneira. O estudo foi planeado para atingir esse objectivo, através do rastreio de comunidades bacterianas e de isolados individuais desde a captação até à torneira. Inicialmente, a abundância e diversidade bacteriana em água não-tratada, tratada e final (torneira) foi caracterizada através do uso de abordagens dependentes e independentes (16S rRNA-DGGE) de cultivo. Ambas as abordagens mostraram que o tratamento da água reduziu as contagens, a cultivabilidade e a diversidade bacteriana, promovendo também a alteração da comunidade bacteriana cultivável de predominantemente bactérias Gram-negativas para predominantemente Gram-positivas. No entanto, este efeito foi revertido, e na água de torneira as bactérias Gram-negativas voltaram a ser predominantes. Adicionalmente, na água de torneira as contagens de microrganismos totais e de bactérias cultiváveis foram mais elevadas do que para a água tratada recolhida no sistema de distribuição. Estes resultados sugerem a ocorrência de reactivação e crescimento bacteriano e/ou a formação de biofilme ao longo do sistema de distribuição e ao nível das torneiras. Apesar de se terem observado alterações na estrutura da comunidade bacteriana ao longo do circuito da água, o filo detetado como predominante, por 16S rRNA-DGGE, foi o mesmo em todos os pontos de amostragem – Proteobacteria (principalmente das classes Alpha, Beta e Gamma). Abordagens dependentes e independentes de cultivo foram comparadas para avaliar quais os grupos que poderão ser ignorados quando se caracterizam comunidades bacterianas usando métodos de cultivo. De forma a ter uma evidência mais clara dos grupos bacterianos que se sobrepõem usando as duas abordagens, o método dependente e dois independentes de cultivo (DGGE e pirosequenciação 454 com base no gene 16S rRNA) foram comparados quanto à sua capacidade para detectar a diversidade bacteriana de uma amostra de água. Esta comparação mostrou que apesar de os diferentes métodos identificarem o mesmo filo como sendo predominante, as bactérias detetadas eram diferentes. Assim, além da expectativa anterior de que os métodos independentes de cultivo detetassem mais grupos bacterianos do que os dependentes de cultivo, concluiu-se também que as duas abordagens incidem sobre diferentes populações bacterianas. Com base no estudo da diversidade bacteriana, principalmente das bactérias cultiváveis, e no que se encontra disponível na literatura, dois grupos taxonómicos de grande relevância em água de consumo, devido à sua ampla distribuição e/ou abundância, foram estudados. Assim, Sphingomonadaceae e Pseudomonas spp., isoladas desde a captação até à torneira foram caracterizadas para a diversidade de espécies, a variabilidade intra-espécie e o potencial para propagar resistências a antibióticos. Apesar de membros da mesma espécie terem sido identificados em diferentes locais, o mesmo genótipo nunca foi detetado na captação ou sistema de distribuição e em água de torneira. De acordo com estes resultados, a hipótese de que as bactérias detetadas em água de torneira teriam origem na água da captação teve de ser rejeitada. Contudo, este estudo conduz a outras hipóteses, nomeadamente a ocorrência de reactivação e crescimento microbiano nas canalizações ou torneiras, ou de uma contaminação externa, a jusante dos pontos amostrados no sistema de distribuição. Adicionalmente, a análise dos perfis de resistência a antibióticos confirmaram que tanto Sphingomonadaceae como Pseudomonas spp. são potenciais reservatórios de resistência a antibióticos. No entanto, este estudo não permitiu obter evidências claras da ocorrência de transferência horizontal de genes. Na verdade, os padrões de resistência a antibióticos relacionaram-se principalmente com a espécie e não com o local ou estirpe, sugerindo a importância da transmissão vertical de resistências em bactérias da água. Alguns fenótipos de resistência a antibióticos detectados em água de torneira não foram detetados a montante. São exemplos os fenótipos de resistência a ampicilina-sulbactame, piperacilina e tazobactam-piocianina, imipenemo, ceftazidima, gentamicina ou tobramicina nas Sphingomonadaceae, ou a estreptomicina e rifampicina nas Pseudomonas spp. Os métodos independentes de cultivo mostram invariavelmente que a maioria das bactérias de uma comunidade são desconhecidas, o que significa que nunca foram cultivadas, caracterizadas e integradas num grupo taxonómico validamente descrito. A taxonomia bacteriana pode ter um importante contributo para gradualmente se reduzir a parcela correspondente às bactérias desconhecidas. Neste estudo o novo nome Bacillus purgationiresistens sp. nov. foi proposto, com base num único isolado recuperado de água tratada. A água de consumo foi confirmada como potencial ponto-chave para a disseminação de bactérias resistentes a antibióticos, com destaque para a transferência ambiente-humanos.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/8840
Aparece nas colecções:R - Teses de Doutoramento / Doctoral Theses
ESB - Teses de Doutoramento / Doctoral Theses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese_IvoneVazMoreira_28.05.2012.pdf2,52 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.