Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/8791
Título: Dor crónica : adaptabilidade e coesão familiar
Autor: Fernandes, Daniela Macedo Abreu
Orientador: Costa, Eleonora
Palavras-chave: Dor Crónica
Adaptabilidade Familiar
Coesão Familiar
Chronic Pain
Family Adaptability
Family Cohesion
Data de Defesa: 27-Abr-2011
Resumo: A presente investigação é constituída por 35 pessoas (91.4% do género feminino), com uma média de 51.00 anos de idade, com diagnóstico clínico de dor crónica e tem como finalidade caracterizar os participantes a nível sócio-demográfico e clínico, avaliar através de uma análise exploratória o funcionamento familiar quanto à adaptabilidade e coesão familiar dos doentes, considerando o Modelo Circumplexo e, por fim, identificar que factores promovem maior nível de adaptabilidade, de coesão familiar e um tipo de família mais funcional. Para tal foram aplicados o “Questionário Sócio-demográfico e Clínico” e a “Escala de Avaliação da Adaptabilidade e Coesão Familiar (FACES II) (Alfa de Cronbach=.80)”. No que diz respeito à análise exploratória, concluiu-se que a maioria da amostra apresenta uma adaptabilidade familiar rígida (adaptabilidade extremamente baixa), uma coesão familiar desmembrada (coesão extremamente baixa), o que promove um tipo de família extremo, traduzindo um fraco funcionamento familiar. Foi possível verificar ainda, através do Mann Witney Test e do Kruskal-Wallis Test, que os doentes que caracterizam a dor como uma sensação corporal de corte apresentam maior adaptabilidade familiar (x2=-2.099; p=.038), pessoas com um nível de escolaridade elevado possuem maior coesão familiar (x2=9.479; p=.009) e, por fim, pessoas cuja relação conjugal não se modificou devido à presença de dor crónica num dos cônjugues apresentam maior adaptabilidade familiar (x2=8.37; p=.039) e um tipo de família mais funcional (x2=8.009; p=.046).
This research consists of 35 people (91.4% were female) with a mean age 51.00 years diagnosed with chronic pain and its purpose is to characterize the participants socio-demographic and clinically, to evaluate throughout an exploratory analysis, the family function concerning their adaptability and cohesion, considering the Circumplex Model and, finally, to identify what factors cause a higher level of adaptability, family cohesion and a more functional family. To this end, the "Questionnaire Socio-demographic and Clinical" and the "Family Adaptability and Cohesion Evaluation Scale (FACES II)” have been applied (Cronbach Alph= .80). Concerning the exploratory analysis, it was concluded that most of the sample present a rigid family adaptability (extremely low adaptability), a dismembered family cohesion (cohesion extremely low), which causes an extreme type of family, reflecting into a weak family functionality. It was also verify, by Mann Witney Test and Kruskal-Wallis Test, that the patients who characterized the pain as a bodily sensation of cutting present a higher family adaptability (x2=-2.099; p=.038), people with a high level of education have higher family cohesion (x2=9.479; p=.009) and, finally, people with a marital relationship didn’t modify due to the presence of chronic pain of the spouses present higher family adaptability (x2=8.37; p=.039) and a more functional type of family (x2=8.009; p=.046).
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/8791
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
FF - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese de Mestrado Final.pdf988,61 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.