Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/8735
Título: A visão beatífica e a noção de mistério em K. Rahner
Autor: Farias, José Jacinto Ferreira de
Data: 2008
Editora: Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa
Citação: FARIAS, José Jacinto Ferreira de - A visão beatífica e a noção de mistério em K. Rahner. Didaskalia. Lisboa. ISSN 0253-1674. 38:2 (2008) 343-348
Resumo: O estudo visa uma breve apresentação do contributo de K. Rahner para uma renovada compreensão da noção teológica de mistério, categoria fundamental no cristianismo e na teologia, que é, de certo modo, a ciência do mistério. O núcleo fundamental do seu contributo - que se inspira, por um lado em S. Tomás de Aquino, e, por outro, numa certa corrente filosófica contemporânea, que tem em G. Marcel um dos seus mais significativos representantes - consiste em operar uma inversão metodológica, ou seja, em vez de considerar o mistério a partir dos limites da razão, fazê-lo a partir da visão beatífica e do tema do lumen gloriae. O mistério vai surgir então referido directamente a Deus, e não tanto a proposições que ultrapassam os limites da razão. A pluralidade dos mistérios resume-se quase apenas a três: a Santíssima Trindade, a Incarnação e a união hipostática, e a elevação das criaturas à comunhão com Deus na graça. Tudo o resto será como que um desdobramento destes três mistérios fundamentais. A conclusão de K. Rahner será de natureza antropológica, mostrando que o homem é essencialmente o ser do mistério, da infinita transcendência espiritual, aberto e disponível ao excesso de sentido que o mistério, como grandeza solar, em si mesmo encerra.
This study provides a brief presentation of the contribution of K. Rahner to a renewed understanding of the theological notion of mystery, a category fundamental in Christianity and in theology, which is, to an extent, the science of the mystery. The fundamental essence of his contribution – inspired, on the one hand, by St. Thomas Aquinas and, on the other, by a certain tendency in contemporary philosophy, with G. Marcel as one of its most significant representatives – consists in bringing about a methodological inversion, in other words instead of considering the mystery via the limits of reason, to do so via the beatific vision and the theme of the lumen gloriae. The mystery thus comes to refer directly to God, and less to propositions that outpass the limits of reason. The plurality of the mysteries may be summarised in just three: the Holy Trinity, the Incarnation and the hypostatic union, and the elevation of creatures to communion with God in grace. All of the rest amounts to a subdivision of these three fundamental mysteries. K. Rahner’s conclusion is one of an anthropological nature, showing that mankind is essentially the being of the mystery, of the infinite spiritual transcendency, open and susceptible to the excess of sense that the mystery, like the greatness of the Son, encloses within itself.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/8735
ISSN: 0253-1674
Aparece nas colecções:RD - 2008 - Vol. 038 - Fasc. 2

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
V03802-343-348.pdf83,85 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.