Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/8662
Título: Santidade e reforma da Igreja no Concílio Vaticano II
Autor: Amaral, Miguel de Salis
Data: 2008
Editora: Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa
Citação: AMARAL, Miguel de Salis - Santidade e reforma da Igreja no Concílio Vaticano II. Didaskalia. Lisboa. ISSN 0253-1674. 38:1 (2008) 207-226
Resumo: O tema da reforma entrou no discurso sobre a santidade da Igreja à medida que a visão da Igreja se foi enriquecendo e se tentou resolver a hipotética incompatibilidade entre santidade e reforma da Igreja. A fermentação destas ideias chegou ao Concílio Vaticano II e continuou depois dele. Neste estudo analisamos a presença da ideia de reforma enquanto relacionada com a santidade da Igreja nos textos do Concílio Vaticano II. Os documentos conciliares permitem várias leituras sobre a relação da santidade com a reforma da Igreja, mas não assumem todas as possibilidades que encontramos no debate teológico anterior. Depois do Concílio encontramos três modos diferentes de incluir a reforma no discurso sobre a santidade da Igreja: o primeiro vê a reforma como consequência do dinamismo da santidade no interior da Igreja, o segundo afirma que não é possível falar de reforma sem admitir a presença do pecado na Igreja e, enfim, o terceiro relaciona a reforma com a condição histórica da Igreja, que caminha na terra em direcção à sua plenitude. A maioria dos teólogos usa uma ou, menos frequentemente, várias destas soluções. Ainda não é possível afirmar que se tenha chegado a um consenso.
The theme of reform entered discussion of the sanctity of the Church as the vision of the Church became enriched and attempts were made to resolve the hypothetical incompatibility between Church sanctity and Church reform. The fermentation of these ideas reached the 2nd Vatican Council and continued afterwards. In this study we examine the presence of the idea of reform in relation to the sanctity of the Church in the texts of the 2nd Vatican Council. The Council documents allow for various readings on the relationship between sanctity and reform in the Church, but do not take on board all of the possibilities to be found in earlier theological debate. After the Council we find three different ways of including reform in discussions of the sanctity of the Church: the first sees reform as a consequence of the dynamism of sanctity within the Church, the second affirms that it is not possible to speak of form without admitting the presence of sin in the Church, and, lastly, the third relates reform to the historical condition of the Church, which follows a path on earth towards its plenitude. The majority of theologians use one or, more rarely a number of these solutions. We cannot yet state that a consensus has been reached.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/8662
ISSN: 0253-1674
Aparece nas colecções:RD - 2008 - Vol. 038 - Fasc. 1

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
V03801-207-226.pdf143,5 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.