Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/8655
Título: Intervenção precoce crianças em risco
Autor: Silva, Maria Lúcia Cerqueira da
Orientador: Ponte, Filomena Ermida da
Data de Defesa: 2009
Resumo: A Intervenção Precoce (IP) é uma área de intervenção Educacional onde o efeito da mudança do paradigma médico para o paradigma biopsicossocial é mais evidente. De um foco na criança e uma intervenção de cariz remediativo/compensatório, descurando os contextos de vida da criança, a Intervenção Precoce passou a envolver os contextos e sistemas que influenciam o desenvolvimento desta (Correia & Serrano, 1998; Cruz, Fontes e Carvalho; Darling & Baxter, 1996). Com base na perspectiva ecológica (Bronfenbrenner, 1979) e transaccional (Sameroff & Chandler, 1975; Sameroff & Fiese, 2000) do desenvolvimento humano emergem, deste modo, os modelos de intervenção centrados na família. Os objectivos da intervenção passam pela capacitação (“enabling”) e fortalecimento (“empowerment”) das competências da família, tornando-a autónoma e assumindo o controlo das tomadas de decisão sobre a intervenção e os objectivos delineados (Dunst, Trivette & Deal, 1994), além da promoção do desenvolvimento de competências na criança (Bailey & Wolery,1992). A intervenção passa por um ciclo que se inicia na avaliação das expectativas e culmina com a avaliação da intervenção, nomeadamente, da satisfação das famílias (Simeonsson et al., 1996). É, neste contexto teórico, que desenvolvemos a investigação aqui descrita. Tomaram-se 32 pais de crianças atendidas no serviço de IP (monodisciplinar) em Viana do Castelo. Aos participantes, que eram predominantemente do género feminino, maioritariamente com idades entre os 20 e os 40 anos e trabalhadores nos sectores secundário e terciário da actividade económica, aplicou-se um questionário sobre o grau de satisfação da família face ao serviço de IP, visando verificar o nível da sua satisfação, nomeadamente, ao nível da relação com a Educadora, da realização das expectativas e se o PIAF promove uma intervenção centrada na família. Os resultados obtidos apontam para uma avaliação generalizadamente positiva das diversas dimensões relacionadas com essa problemática: apoio aos pais, apoio à criança, ambiente social, modelo de apoio, relação com o técnico, direitos dos pais. Acima de tudo o PIAF responde às expectativas e auxilia a IV família no processo de corresponsabilização pela intervenção. Não obstante,verificou-se que, ao nível das dimensões “localização e ligações dos serviços” e “estrutura e administração do serviço”, há algumas situações a colmatar. Mais especificamente, os pais mostram-se menos satisfeitos, com o número de técnicos e a estabilidade do corpo de técnicos, e com a dificuldade de conhecer e aceder ao serviço de IP, bem como de saber a sua estrutura ou quem são os responsáveis, em caso de necessidade de queixa. O reinício do ciclo de intervenção (Simeonsson et al, 1996) exigirá a manutenção da relação e dos trabalhos desenvolvidos com a família, mas também mais divulgação do serviço e estabilidade do corpo de técnicos. Sugere-se a continuação deste estudo, realizando uma análise dos resultados tomando as profissões e as idades dos participantes.
Early Intervention (EI) is the field on Educational Intervention where the shift from the medical paradigm to the biopsicossocial paradigm is more striking. From a child focus and an intervention directed to remediation/compensation goals, regardless of the child life contexts, the Early Intervention, nowadays, involves the contexts and systems with repercussion on the child development (Correia & Serrano, 1998; Cruz, Fontes e Carvalho; Darling & Baxter, 1996). The models focused on the family emerge. They are based upon ecological (Bronfenbrenner, 1979) as well as the transactional (Sameroff & Chandler, 1975; Sameroff & Fiese, 2000) human development perspectives The intervention goals started to focus on the “enabling” and the “empowerment” of the families, in order to make them more autonomous and assuming the control of the process of decision making regarding intervention and the goal setting (Dunst, Trivette & Deal, 1994). Also the intervention goals regard the promotion of the child’s skills (Bailey & Wolery, 1992). The intervention implies a cycle, beginning with the expectations evaluation and concluding with the intervention assessment, namely, the family’s satisfaction (Simeonsson et al., 1996). Within this theoretical framework, we developed the present investigation. We took 32 parents of children supported by the EI service (monodiscipline) at Viana do Castelo. We administered to the participants, mostly women, between the 20 and 40 years old and working on the secondary and tertiary economic activity sectors, a questionnaire about the degree of the family’s satisfaction, in order to verify the degree of families’ satisfaction, namely at the level of the relation with the kindergarden teacher, de expectations fulfilled and if the PIAF really ensures an intervention focused in the family. The results reveal a generalized positive evaluation of the different dimensions related to the degree of families’ satisfaction: parental support, child support, social environment, support model, relation between parents and the teacher, parents’ legal rights. Above all, PIAF is responsive to the expectations and helps the family in the process of empowerment regarding the intervention. Nevertheless, we verified that, in the dimension “localization and connections of the service” as well as in the dimension of “service’s structure and administration”, there are some failures that need to be overcome. Specifically, parents reveal a lower degree of satisfaction regarding the number of technicians as well as the stability of them in the Service. Also, parents expose the difficulty concerning the knowledge about the Service’s existence and the difficulty in accessing the service. Additionally, parents reveal that they don’t know the services’ structure neither the responsible to which address complains. The reinitiation of the intervention cycle (Simeonsson et al., 1996) should, on one hand, maintain the relation and the activities developed with the family, but, on the other hand, it should publicize in a larger scale the Service and also, guarantee the stability of technicians. We consider relevant, in addition to this study, and in future investigations, to analyse the data taking into account the professional activity or the age of the participants.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/8655
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
FCS - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Temporario.pdf9,29 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.