Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/8588
Título: Cuidar familiar intergeracional : uma aprendizagem sobre a relação entre poder e vulnerabilidade
Autor: Duro, Susana Paula Costa Ferreira
Orientador: Vieira, Margarida
Data de Defesa: Jul-2010
Resumo: A evolução demográfica dos últimos anos tem levantado um conjunto de preocupações a propósito do envelhecimento, tendo em conta a necessidade de responder aos desafios que esta etapa da vida representa para as pessoas e para a sociedade organizada. A aposta crescente que tem vindo a ser feita na criação de redes de apoio domiciliário, associada a um cada vez maior desenvolvimento dos cuidados paliativos, tem dirigido a atenção (e investigação) dos enfermeiros para questões que se relacionam com a sobrecarga dos cuidadores familiares. No entanto, as razões pelas quais muitos familiares escolhem prosseguir com uma assistência muitas vezes penosa e exigente – mesmo até ao momento da morte – não têm sido exploradas tão extensivamente. Torna-se então relevante aprofundar as circunstâncias que podem estar presentes naquelas situações em que o cuidador apresente, ou tenha desenvolvido, um forte sentido para cuidar. A investigação começou com a seguinte pergunta de partida: como se encontra sentido para cuidar de um familiar com doença incurável até ao momento da morte? Este é um estudo de caso baseado na análise da narrativa de uma cuidadora familiar. A cuidadora seleccionada estava inserida na base de dados de doentes acompanhados por uma equipa de cuidados continuados de um centro de saúde e tinha cuidado da familiar até ao momento da sua morte. A selecção ponderou a experiência da equipa relativamente aos cuidadores que ajudaram. A análise mostrou uma história de vários episódios anteriores de cuidado, que revelaram, em relação ao processo de tomada de decisão, três momentos distintos ao longo do tempo: o cuidar por obrigação, o cuidar por escolha e o cuidar como missão de vida. O percurso de cuidar da cuidadora desenvolveu-se perspectivando um ideal de cuidar familiar intergeracional. Este modelo de cuidar da família, baseado na sequência de gerações e apoio mútuo – no contexto de um ciclo de vida familiar tradicional – foi posteriormente analisado na sua relação simbólica com o tempo, procurando perceber de que forma esta relação interfere com processos da família e se relaciona com as alternâncias das relações entre poder e vulnerabilidade que se estabelecem ao longo da vida
In the last years, the demographic evolution has raised a series of worries about aging, taking into account the need to respond to the challenges that this life period represents to people and to organized societies. The growing investment that has been done in home care, allied to the development of palliative care has droved the nurses’ attention (and research) to the burdens of the family caregivers. Nevertheless, the reasons why family members chose to keep on giving this, sometimes, very hard and demanding assistance – even until the moment of death – have not been so extensively explored. So, it becomes relevant to deepen the circumstances which may be present in those situations where the caregivers shows, or has developed, a strong meaning to care. The research started with this first question: how to find meaning to care for a family member with an incurable disease until the moment of death? This is a case-study based on the analysis of a family caregivers’ narrative. The selected caregiver was registered on a data base of patients fallowed by the nurse’s team of a health centre and gave care to her family member until his death. This selection also took the experience of the team on consideration. The analysis showed a history of several previous episodes of family care that revealed, regarding the decision-making process, tree different moments: caring for obligation, caring by choice and caring as a purpose for life. The caring pathway of the caregiver developed having an intergenerational family care ideal in perspective. This framework of family caring, based on generational sequence and mutual support – in the context of a traditional family life cicle – was afterwards examined in his symbolic relationship with time and in which way this relationship interferes with family processes and is related with the shifting of power and vulnerability within relationships along the lifespan
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/8588
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
ICS(P) - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Temporario.pdf9,29 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.