Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/8463
Título: Avaliação do estado funcional paterno
Autor: Coelho, Sónia Margarida dos Santos
Orientador: Mendes, Isabel Margarida Marques Monteiro Dias
Data de Defesa: Jun-2010
Resumo: O homem actual demonstra mais interesse em participar na experiência da gravidez, parto e no puerpério que no passado. O nascimento de uma criança, principalmente do primeiro filho, é uma etapa na vida do casal, que acarreta consigo implicações na vida familiar, social e profissional, alterando equilíbrios anteriores. Conscientes que o homem assume cada vez mais o seu papel parental, a sociedade actual já não apresenta muitos obstáculos à participação do pai no crescimento e desenvolvimentos dos filhos. A transição para a parentalidade pelo pai implica habilidade em equilibrar as tensões e dificuldades. Neste sentido, o modelo de adaptação de Roy perspectiva esta transição como uma adaptação e responsabilização dos pais aos papéis apresentados. O estado funcional é representado pelo modo adaptativo do desempenho de papel que é visto como o desempenho de comportamentos de uma pessoa associados a funções numa sociedade. Os objectivos deste trabalho descritivo-correlacional e transversal foram: avaliar o estado funcional dos pais pela primeira vez às seis semanas pós-parto e verificar a sua relação com factores de natureza obstétrica e socio-demográfica. E ainda, a validação transcultural do Inventory of Functional Status- Fathers (IFS-F) de Tulman, Fawcett e Weiss, (1993) para a versão portuguesa – Inventário do Estado Funcional –Pais (IEF-P). Foi aplicado um questionário, que englobava o Inventário do Estado Funcional-Pais (versão portuguesa), a uma amostra não probabilística do tipo consecutiva constituída por 204 pais pela primeira vez, que recorreram ao Agrupamento de Centros de Saúde Baixo Mondego III – Bussaco-Atlântico, cujos períodos de gravidez, parto e puerpério decorreram sem complicações. Este estudo evidenciou que o estado funcional paterno não é influenciado pelas habilitações literárias dos pais, pelo local de residência, pelo estado civil e o local de vigilância da gravidez. Por sua vez, a variável central em estudo, estado funcional paterno, é parcialmente influenciada pela idade paterna e pela situação profissional.
Nowadays men´s show more interest in participating in the pregnancy, birth and the postpartum period that in the past. The birth of a child, especially the first one, is a stage in the couple‟s life that brings with its changes not only to the family life cycle but also both socially and professionally, changing previous balances. Taking into account that the man shows increasing interest in is parental role, society nowadays embraces his participation in the child‟s growth and development. The transition to parenthood by the father implies the skill to balance stress and difficulties. In this sense Roy‟s adaptation model views this transition as an adaptation and accountability by the fathers to the aforementioned roles. The functional status is presented by the adaptive way of the performance role which is viewed as a person‟s behaviour performance in relation to their role in society. The aims of this transversal, descriptive-correlational study are: evaluated the functional status of the fathers in the six weeks postpartum and to verified if some variables such as the fathers age, studies, employment situation, residence, marital status and the pregnancy vigilance place influence the functional status of the first time fathers. And also, the trans-cultural validation of the Inventory of Functional Status – Fathers (IFS–F) of Tulman, Fawcett and Weiss, (1993), to the Portuguese version - Inventário do Estado Funcional – Pais (IEF-P). A questionnaire that included the Inventory of Functional Status – Father‟s, was presented to a consecutive non probabilistic sample of 204 first time fathers, that resorted to the Agrupamento de Centros de Saúde Baixo Mondego III – Bussaco-Atlântico, whose pregnancies, births and postpartum periods had no complications. This study evidence that the paternal functional status isn‟t affected by the father‟s studies, residence, marital status or by the pregnancy vigilance place but is partially affected by the father‟s age and employment situation.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/8463
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
ICS(P) - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Temporario.pdf9,29 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.