Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/8451
Título: Treino de marcha no Treadmill com suspensão corporal em utentes com sequelas de AVC - estudo piloto
Autor: Batista, Isabel Baleia
Orientador: Melo, Filipe
Almeida, Patrícia Maria Duarte
Palavras-chave: Treadmill
Acidente Vascular Cerebral
Marcha
Fisioterapia
Treadmill
Stroke
Gait
Physical therapy
Data de Defesa: 2011
Resumo: Sendo a diminuição da competência da marcha um dos principais problemas dos utentes após AVC, torna-se importante a avaliação da eficácia de estratégias de treino de marcha, dentro das quais se inclui o uso do treadmill, com suspensão do peso do corpo. O uso do treadmill está a ser rapidamente adoptado como uma estratégia de intervenção da fisioterapia para melhorar o desempenho da marcha dos sujeitos após AVC. No entanto, a evidência é controversa. Objectivos: Perceber qual a eficácia do treino de marcha no treadmill, com suspensão do peso do corpo, quando associado à fisioterapia convencional e, sendo um estudo piloto, analisar e se necessário reformular a metodologia utilizada para a realização de um futuro estudo, com uma amostra mais significativa. Metodologia: Estudo quasi-experimental – Estudo Piloto. Composta por 8 utentes com sequelas de AVC, foram distribuídos de forma sistemática pelo grupo 1 e pelo grupo 2. O grupo 1 realizou fisioterapia convencional, o grupo 2 realizou fisioterapia convencional e treino de marcha no treadmill. Ambos os grupos realizaram a intervenção durante 5 semanas, 5 vezes por semana. As variáveis medidas foram: dependência na marcha, velocidade da marcha, endurance na marcha, simetria do passo na marcha, tempo de apoio unipodal do lado hemiparético na marcha, transferência de peso em apoio bipodal e funcionalidade. Resultados: Não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre a avaliação inicial e final, em ambos os grupos, nem para a análise de diferenças entre grupos, para qualquer das variáveis em estudo. Discussão: Os resultados encontrados não vão ao encontro da hipótese inicialmente levantada, de que o grupo 2, que realizou treino de marcha no treadmill, teria melhores resultados nos parâmetros avaliados. No entanto estes resultados podem estar relacionados com as limitações do estudo, das quais se destaca o número reduzido da amostra. É importante referir que em quase todos os parâmetros avaliados verificou-se uma melhoria para ambos os grupos. Conclusão: O presente estudo não permite retirar conclusões para a prática clínica mas, enquanto estudo piloto, permite-nos sugerir algumas alterações para a realização de futuros estudos, com aspectos metodológicos mais robustos, incluindo uma amostra com dimensões mais significativas.
Since the decrease in gait competence is one of the main problems of patients after stroke, it becomes important to evaluate the effectiveness of gait strategies, which include the use of treadmill, with body weight support. The use of treadmill is rapidly being adopted as a strategy for physical therapy intervention to improve gait performance in patients after stroke. However, evidence is controversial. Objectives: To understand the effectiveness of gait training using the treadmill with body weight support, when associated with conventional physical therapy and, as a pilot study, analyze if it is necessary reformulate the used methodology for a future study, with a most significant sample. Methods: Quasi-experimental - Pilot Study. 8 poststroke patients, were distributed in a systematic manner into group 1 and group 2.Group 1 went through conventional physical therapy, while group 2, in addition to conventional therapy, also performed gait training on the treadmill. Both groups received the therapy for 5 weeks, 5 days a week. The variables measured were: gait dependence, walking speed, gait endurance, step symmetry in gait, single support time on hemiparetic side, weight transfer in standing position and functionality. Results: There weren’t found any statistically significant differences between the initial and final evaluation moments, or in the analysis of differences between the groups, for any of the variables under study. Discussion: The results do not meet the hypothesis raised initially, in which group 2, having performed gait training on the treadmill, would have achieve better results in the evaluated parameters. This results may, however, be related to the study limitations, among which the small sample size. It is important to refer that, in almost every evaluated parameter, there was an improvement for both groups. Conclusion: This study does not draw stronger conclusions for clinical practice, but, as a pilot study enables us to suggest some changes to a future experimental stud
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/8451
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
ICS(L) - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Temporario.pdf9,29 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.