Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/8252
Título: Amor como comunicação : uma aproximação fenomenológica ao fenómeno amor
Autor: Vasconcelos, Maria Filipa Moreira de
Orientador: Ilharco, Fernando
Palavras-chave: Amor
Amorzisse
Essência
Relação
Transcendência
Fenomenologia
Método Fenomenológico
Heidegger
Husserl
Love
Loveness
Essence
Relationship
Transcendence
Phenomenology
Phenomenological Method
Data de Defesa: 2011
Resumo: Nesta dissertação apresentamos uma aproximação fenomenológica ao fenómeno amor. Aplicámos o método fenomenológico desenvolvido por Edmund Husserl, estendido por Martin Heidegger e sintetizado por Herbert Spiegelberg, numa proposta de Introna, Ilharco e Faÿ (2008), ao fenómeno amor de forma a compreendermos a essência deste, aquilo que está na nossa consciência e que nos permite identificar este fenómeno, isto é, a amorzisse do amor. Procurámos com esta investigação responder à pergunta ‘O que é o amor?’, partindo da ideia que amor é comunicação, ou seja, falar de amor é falar de comunicação, de interacção, pois quando pensamos, escrevemos ou falamos de amor estamos inevitavelmente e por vezes inconscientemente a referirmo-nos a actos comunicacionais. Desta forma, chegámos à compreensão deste acto comunicacional que é o amor de uma forma tão essencial quanto nos foi possível. Porém, o nosso objectivo não foi explicar este fenómeno nem chegar a um seu entendimento final e estanque, mas sim explorar contornos da identidade do amor e chegar a um significado primeiro e profundo. Concluímos assim que o amor é uma relação de grande envolvimento entre duas pessoas que nutrem uma pela outra um sentimento positivo e forte, de natureza incondicional, cuja dimensão nos é desconhecida na sua transcendência e que se baseia na capacidade que as duas pessoas têm de o sentir. Além disso, temos que o significado oculto do amor é a sua natureza transcendente em relação ao ser humano.
In this dissertation we present a phenomenological approach to the phenomenon love. We applied the phenomenological method developed by Edmund Husserl, extended by Martin Heidegger and synthesized by Herbert Spiegelberg in an Introna, Ilharco and Faÿ’s proposal (2008) to the phenomenon love in order to the understand its essence, what is in our consciousness that allows us to identify this phenomenon, that is, the loveness of love. In this investigation we sought to answer the question ‘What is love?’, based on the idea that love is communication, that is, to talk about love is to talk about communication, interaction, because when we think, write or talk about love we are inevitably, and sometimes unconsciously, referring to communicative acts As much as possible we comprehended the essential of the communicative act which love is. However, our objective was not to explain this phenomenon nor to achieve one final and sealed understanding of it, but to explore the contours of the identity of love and to achieve the first and deepest meaning of love. We concluded that love is a relationship of deep involvement between two human beings, each one feeling by the other a positive, strong and an unconditional sentiment, with a dimension we do not know in its transcendence and that is based on the capacity that both have to feel it. Furthermore, we believe that the hidden meaning of love lies in its transcendence nature in relation to the human being.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/8252
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
FCH - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese de Mestrado.pdf538,58 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.