Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/8221
Título: Adaptação da pessoa insuficiente renal crónica terminal à doença e ao tratamento em hemodiálise
Autor: Silva, Andréa Menezes dos Passos da
Orientador: Vieira, Maria Margarida da Silva
Cristovão, António Filipe Amaral
Data de Defesa: 2010
Resumo: O presente estudo analisa o processo de adaptação da pessoa com insuficiência renal crónica terminal (IRCT) em hemodiálise (HD) à doença e ao tratamento. É um estudo exploratório e descritivo, de natureza qualitativa, pretende identificar: a) as dificuldades percebidas pelos doentes; b) as formas de enfrentar as dificuldades associadas à doença e ao tratamento; c) a vivência do processo adaptativo; d) e os factores que facilitam a adaptação. A amostra intencional compreende sete informantes há mais de um ano em diálise em três clínicas de HD. Com o parecer favorável da comissão de ética e o consentimento informado dos sujeitos, gravamos as entrevistas nos locais de tratamento. A análise temática dos discursos permitiu identificar vinte categorias nos quatro temas que correspondem aos objectivos do estudo. As dificuldades prendem-se com o tempo dispendido nas sessões de hemodiálise, as limitações associadas à HD, as restrições hídricas e dietéticas e cumprir a medicação prescrita. As estratégias adaptativas foram a busca de informação, o empenho em cumprir o tratamento, atribuir um significado à situação, aceitação, ajuda da família, evitar pensar nos problemas, agir em função das consequências e de compromissos pessoais e a negação. Durante o esforço adaptativo os sujeitos valorizaram os sentimentos ao iniciarem a HD, os sinais e sintomas pré-diálise e a melhoria dos sintomas depois de iniciarem o tratamento. De entre os factores facilitadores da adaptação à doença e tratamento destacaram-se o apoio do médico, o funcionamento do acesso vascular e a perspectiva de realizar um transplante renal. Os resultados revelam dificuldades tanto de carácter físico como psico-social. A forma de enfrentar as dificuldades envolve estratégias centradas na resolução de problema e outras centradas no controlo emocional. O sofrimento no período pré-diálise, as primeiras sessões de HD e a melhoria do estado geral promovido pelo tratamento parecem experiências marcantes para os sujeitos. Apesar do contacto regular com os doentes, os enfermeiros não possuem um papel relevante no esforço adaptativo. O apoio do médico e a esperança no transplante renal parecem ser os aspectos que mais contribuem para essa adaptação. Os achados desafiam os enfermeiros a ajudar os doentes a enfrentar o sofrimento causado pela HD e pelas restrições do tratamento.
This study presents the adaptation process analysis of the patient in the terminal chronic renal insufficiency (TCRI) in hemodialysis (HD), to the disease and to the treatment. It’s an exploratory and descriptive study, with a qualitative nature, with the aim of identifying: a) the difficulties perceived by the patients; b) the way to face the difficulties associated to the disease and treatment; c) the living during the adaptative process; d) and the factors that ease the adaptation. The intentional sample consists of seven informants for over a year doing dialysis treatments in three clinics. With the assent of the ethics committee and the informed consent of the subjects, we recorded the interviews at these treatment sites. The thematic analysis of the interviews identified twenty categories in the four themes that correspond to the objectives of the study. The difficulties relate to the time spent on the hemodialysis sessions, the limitations associated to the HD, the water and dietary restrictions and comply with the prescribed medication. The adaptive strategies have been searching for information, commitment to complying with treatment, giving a meaning to the situation, acceptance, help from family, avoid thinking about problems, acting as a function of the consequences, personal appointments and denial. During the adaptive effort, subjects valued more the feelings when started HD, the signs and pre-dialysis symptoms, the improvement of symptoms after starting the treatment. Among the factors that facilitate adjustment to illness and treatment, the emphasis was to the support of the doctor, the functioning of the vascular access and the perspective of a kidney transplant. The results revealed difficulties at both physical and psycho-social. The way to deal with the difficulties involves strategies focused on problem solving and others focused on emotional control. The suffering in the pre-dialysis period, the first HD sessions and the improvement of the general state, promoted by the treatment seemed remarkable experiences to the subjects. Despite the regular contact with patients, nurses do not have a relevant role in the adaptive efforts. The doctor support and the hope in renal transplantation appear to be the main aspects that contribute to this adaptation. The findings challenge nurses to help patients to face the suffering caused by HD and its treatment restrictions.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/8221
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
ICS(P) - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Temporario.pdf9,29 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.