Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/8191
Título: Malformação fetal : a (in) sustentabilidade da confirmação
Autor: Azevedo, Helena Manuela Oliveira
Orientador: Ponte, Filomena Ermida da
Palavras-chave: Malformação Fetal
Suspeita
Sofrimento
Perda e Luto
Fetal Malformation
Suspicion
Suffering
Lost
Grief
Data de Defesa: 2011
Resumo: A relação estabelecida entre a díade mãe-bebé vai sendo progressivamente construída, desde o período pré-natal. O período da gravidez está repleto de inúmeras expectativas e idealizações da mãe, acerca do bebé que vai nascer. Assim, um diagnóstico de malformação fetal poderá provocar uma grande desilusão e descrença para os pais que o vivenciam, os quais se poderão ver obrigados a fazer o luto do bebé imaginado. O objectivo deste estudo foi desenvolver e obter uma compreensão mais profunda sobre as vivências e sentimentos maternos desde o momento em que surge a suspeita de malformação do feto até ao nascimento ou interrupção médica da gravidez e até que ponto a mãe consegue ou não, facilmente ou dificilmente, ultrapassar o luto do filho imaginado. Os sujeitos deste estudo são mulheres grávidas que têm uma suspeita/confirmação de uma malformação fetal. A análise e tratamento de dados foram feitos através do conteúdo das entrevistas direccionadas às mães grávidas. As entrevistas foram efectuadas, individualmente, a cada uma das participantes. Os resultados obtidos neste estudo demonstraram que esta experiência representa um evento traumático na vida das grávidas, com consequências ao nível individual e interpessoal e que o sofrimento ultrapassou as respostas individuais de cada grávida reflectindo-se nas relações familiares e mesmo sociais. Através deste estudo é possível verificar os principais sentimentos vividos pelas grávidas da nossa amostra e podemos constatar que estas vivências psicológicas são muito idênticas tanto aquando do momento de uma suspeita de malformação fetal, como aquando o momento da confirmação da malformação fetal.
The established relation between the dyad mum-baby is being progressively built, in the pre-natal period. The pregnancy period is filled with countless‟ mother‟s expectations and idealizations about the baby that is about to be born. Regarding this, a fetal malformation diagnostic may lead to a great disillusion and disbelief for the parents that had lived it, and who might be made to grief the imaginary baby. This research is intended at developing and obtaining a deeper comprehension of the maternal experiences and feelings since the moment of the fetus malformation suspicion until the birth or medical interruption of the pregnancy and to find out to what degree a mother can overcome the grief of the imagined son. This study subjects were pregnant women‟s who have fetal malformation suspicion or confirmation. The gathering of data was made by individual interview to each participant which content were then transformed to writhed tables to a posterior treatment and analysis. This study results shown that this experience represents a traumatic event in mother‟s life, with enormous consequences at personal level and at interpersonal relationships, and that grief status overcame pregnant individual responses and are reflected in familiar and social relationships. We were able to identify the main feelings lived by our sample of pregnant women‟s and we saw that the psychological experiences were quite similar regarding the moment there is only a suspicion or when there is a confirmation of a fetal malformation.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/8191
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
FCS - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Temporario.pdf9,29 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.