Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/5935
Título: A secagem de uva flame seedless e D. Maria em secador solar na região de Borba (Alentejo-Portugal)
Autor: Silva, Maria Jose P.
Ramos, Ines N.
Silva, Cristina L. M.
Data: 2000
Editora: Instituto Canario de Investigaciones Agrarias
Citação: SILVA, Maria Jose P. ; RAMOS, Ines N. ; SILVA, Cristina L. M. - A secagem de uva flame seedless e D. Maria em secador solar na região de Borba (Alentejo-Portugal). In Simpósio Nacional y Ibérico de Post-Recolección de Frutos y Hortalizas, 5, Tenerife, Spain, 21- 23 September - V Simpósio Nacional y Ibérico de Post-Recolección de Frutos y Hortalizas. Tenerife : Instituto Canario de Investigaciones Agrarias, D. L. 2002. 7 p.
Resumo: Visando melhorar a secagem de uva, em secador solar, na região de Borba, ensaiaram-se tratamentos de pré-secagem, por imersão, nos frutos das cultivares Flame seedless (sem grainha) e D.Maria (com grainha). A pulverização pré-colheita testou-se apenas na D.Maria. A colheita, os frutos das Flame seedless e D.Maria apresentaram valores médios de açúcar de 22-24 e 20-24g/100gPF respectivamente. As pulverizações com oleato de etilo, na uva D.Maria, não provocaram diferenças significativas permanentes nos indicadores fisiológicos estudados (pH, acidez, açucares, fenóis totais, dureza e cor). A secagem da Flame seedless foi mais rápida (10-12 dias) do que a da D.Maria, (cerca de 20 dias). 0 rendimento de transformação (Kg uva/Kg passa) na Flame seedless foi melhor do que na D.Maria. Os melhores rendimentos obtiveram-se na cv. Flame seedless com as imersões em oleato de etilo (0,2%), e na cv. D. Maria com as imersões em oleato de etilo (0,2 e 1%) e as pulverizações com oleato de etilo 15 1/ha. As analises da passa Flame seedless evidenciaram maior acidez total nos frutos pré-tratados com acido ascorbico e maior acidez e açucares redutores nas passas da 2 a colheita. As passas D.Maria pré-tratadas por pulverização ou imersão mostraram maior acidez. As pulverizadas apresentaram menos açucares redutores. Quanto a textura, as passas mais duras foram as das imersões com acido ascorbico 3% (Flame seedless), e as em azeite 0,1% (D.Maria). Na analise sensorial os provadores preferiram as passas Flame seedless. Destas seleccionaram as testemunhas e os tratamentos com carbonato de potássio (1ª colheita). Na D.Maria não notaram diferenças significativas entre os vários pré-tratamentos, preferindo as pré-tratadas com carbonato de potássio (2,5%) no que se refere a aceitabilidade global.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/5935
Aparece nas colecções:ESB - Artigos em Actas / Papers in proceedings

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ESB_Silva_Cristina-dig3.PDF192,06 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.