Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/4404
Título: A Coroa e a Igreja na Lisboa de quinhentos
Autor: Senos, Nuno
Palavras-chave: Século XVI
Data: 2003
Editora: Centro de Estudos de História Religiosa - Universidade Católica Portuguesa
Citação: SENOS, Nuno – A Coroa e a Igreja na Lisboa de quinhentos. Lusitania Sacra. Lisboa. ISSN 0076-1508. 2ª S. 15 (2003) 97-117
Resumo: No Portugal moderno, as relações entre a Coroa e a Igreja resolveram-se entre momentos de concorrência em que as duas formas de poder competiram pela primazia no palco das tensões políticas, e outros de colaboração em que os dois concertaram esforços para a persecução de objectivos comuns. Tais tensões são particularmente visíveis nos edifícios religiosos a que a Coroa se associou durante os reinados de D. Manuel e D. João III. Este artigo centra-se num conjunto de igrejas encomendadas de raíz (a capela real de São Tomé, em Lisboa, ou a ermida de Nossa Senhora da Conceição, em Tomar), reformadas (o convento de Cristo, em Tomar) ou usadas para uma cerimónia particular (São Domingos ou a Sé, ambas em Lisboa) durante estes reinados, quer na sua distribuição geográfica, quer nas opções estéticas que documentam, procurando nelas identificar sintomas dos projectos políticos a que corresponderam e que materializaram. Ainda duas igrejas (São Sebastião e o mosteiro de São Vicente-de-Fora) mostram como os edifícios religiosos serão ainda, nos dois reinados seguintes, sintomas das transformações por que passam as relações entre os monarcas que as encomendaram e as instituições religiosas a que foram entregues.
In Early Modern Portugal, the relationship between the Crown and the Church alternated between moments of competition, in which both forms of power fought for primacy on the political stage, and moments of collaboration, in which efforts were combined to attain a common goal. Such tensions are particularly visible in the religious buildings patronized by the Crown during the reigns of kings D. Manuel and D. João III. This article focuses on a set of churches commissioned (the royal chapel of São Tomé, in Lisbon, or the church of Nossa Senhora da Conceição, in Tomar), reformed (the convent of the Ordem de Cristo, in Tomar), or used for some particular ceremony (São Domingos or the Sé, both in Lisbon) during this period. It analyses them both according to the geographic distribution and the aesthetic options they document, and it identifies how they capture the political projects they correspond to and embody. Two final churches (São Sebastião and the monastery of São Vicente--de-Fora, both in Lisbon) will be discussed, showing how, during the two following reigns, religious buildings remained emblematic of the transformations through which the relationships between their royal patrons and the Church went.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/4404
ISSN: 0076-1508
Aparece nas colecções:RLS - Tomo 015 (2003)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
4404 - LS_S2_15_NunoSenos.pdf6,26 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.