Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/22847
Título: A relação trabalho-família e a expatriação : um estudo qualitativo com expatriados portugueses
Autor: Sá, Catarina Lima Vieira de
Orientador: Sobral, Filipa
Palavras-chave: Conciliação trabalho-família
Expatriados
Práticas organizacionais
Work-life balance
Expatriates
Organizational practices
Data de Defesa: 11-Jul-2017
Resumo: A temática em torno da relação trabalho-família tem sido alvo de interesse por parte de muitos investigadores, não só pelas elevadas exigências que o mercado de trabalho coloca nos seus profissionais mas também pelo cuidado e atenção de que as famílias carecem atualmente. Posto isto, o objetivo deste trabalho centrou-se em analisar a relação entre a expatriação e a conciliação trabalho-família, de forma a compreender qual a relação da expatriação com a vida familiar e/ou pessoal dos indivíduos. Para o efeito recorreu-se a uma amostra de 10 indivíduos de nacionalidade portuguesa que se encontravam expatriados (no momento da realização deste estudo). Tendo sido utilizada uma abordagem metodológica qualitativa, foram elaboradas entrevistas semiestruturadas contendo questões que procuravam explorar estas questões. Os resultados revelaram que apesar da existência de dimensões do trabalho que se relacionam negativamente com a conciliação trabalho família, como o cansaço físico e/ou emocional, também existem dimensões positivas, como a oportunidade de crescimento na carreira. Como uma das principais conclusões constatou-se que apesar de algumas organizações descurarem as práticas “amigas das famílias” grande parte delas presta esse apoio quer a nível de ajudas de custo bem como demonstram preocupação com os trabalhadores expatriados.
The conversation surrounding the balancing between one’s personal life and work has sparked an interest in many researchers, not only due to the high standards the job market places upon its professionals, but also considering the need for care and attention that modern families demand. As such, this report was focused on analyzing the relation between expatriation and work/family dynamics, to better understand this interaction and its consequences. To that end, a sample of 10 Portuguese expatriated citizens (at the time of this survey) was studied, using qualitative methodological tools by means of semi-structured interviews. The results have shown that, despite the existence of aspects of their professional life that have a negative work/family impact, such as physical and/or emotional fatigue, there are also positive characteristics, like the opportunity for career growth. We also concluded that, although some companies neglect “family-friendly” policies, the clear majority provides support (financial or through work policies), to its expatriated workers.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/22847
Aparece nas colecções:FEP - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação de Mestrado - Catarina Vieira de Sá.pdf1,17 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.