Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/21476
Título: Abandono escolar precoce : compreender para prevenir
Autor: Comenda, Carla Maria Santos
Orientador: Cabral, Ilídia
Palavras-chave: Cursos profissionais
Insucesso escolar
Escolaridade obrigatória
Abandono escolar.
Vocational courses
School failure
Compulsory education
School dropout
Data de Defesa: 21-Out-2016
Resumo: O tema do abandono escolar é uma preocupação social, não só a nível internacional, mas também nacional, que passa pelo Estado, por diferentes agências da administração pública e pelo setor solidário social e privado. Este tema tem-se mantido atual na documentação oficial portuguesa sobre educação e estudos continuam a ser feitos no que se refere ao mesmo. A preocupação pelo abandono escolar não se confina apenas a Portugal, mas estende-se à escala europeia. Em Portugal, pelos diversos estudos já existentes, a taxa de abandono escolar tem vindo a reduzir, no entanto, o fenómeno continua presente nos dias de hoje, mantendose ainda um atraso considerável em relação à meta europeia definida. O fenómeno do abandono escolar é muito visível nos cursos profissionais, pelo que a nossa investigação visa alcançar a resposta para uma questão de âmbito geral: Que perceções têm alunos, docentes e lideranças sobre os fatores que contribuem para o abandono escolar precoce nos cursos profissionais? No sentido de obtermos resposta a esta questão procedemos à formulação de subquestões: Como se organiza a escola para prevenir o abandono escolar precoce? Como são diagnosticados os alunos que se encontram em risco de abandono escolar precoce? Que ações concretas se desenrolam para evitar que os alunos em risco de abandono acabem por sair efetivamente da escola? Como viveram e sentiram a escola os alunos que abandonaram os cursos profissionais sem concluir o 12º ano? Como vivem e sentem a escola os alunos que se encontram em risco de abandono escolar precoce? Para tal, procedemos a uma revisão da literatura que nos permitiu esboçar a evolução do fenómeno em termos nacionais e europeus e analisar as medidas que foram implementadas para o prevenir. Elegemos para a nossa investigação duas técnicas de recolha de dados, a análise documental (registos biográficos dos alunos, atas dos conselhos de turma, pautas de avaliação e documentos estruturantes do Agrupamento, nomeadamente, Contrato de Autonomia, Projeto Educativo, Regulamento Interno, e Plano de Desenvolvimento do Currículo) e a realização de entrevistas semiestruturadas. As entrevistas foram aplicadas à Diretora do Agrupamento, a um Diretor de Turma de um curso profissional, a docentes, a alunos em risco de abandono e a jovens que abandonaram o sistema educativo. Os dados recolhidos e analisados neste estudo permitem-nos concluir que os agentes educativos entrevistados, nomeadamente a diretora e os docentes, têm a mesma perceção relativamente aos fatores que contribuem para o abandono escolar nos cursos profissionais, identificando como principais fatores: as dificuldades económicas que levam as famílias a emigrar à procura de melhores condições de vida, a procura pela autonomia financeira, as dificuldades acumuladas que levam a um total desinteresse pela escola, também devido ao facto de pertencerem a famílias desestruturadas que muitas vezes desincentivam à frequência da escola. São também relatados os problemas de comportamento, aliados ao elevado número de faltas e à falta de empenho como fatores que normalmente conduzem a situações de abandono escolar. As conclusões alcançadas pelo nosso estudo parecem ir ao encontro das correntes de pensamento de outros investigadores, no sentido em que apontam para a falta de respostas adequadas, por parte da escola, para a maioria das situações de insucesso, esperando que os alunos aprendam por si, o que faz com que muitos deles acabem por abandonar o sistema de ensino. Concluímos ainda que o modelo escolar que temos, com a sua tradicional e inquestionada gramática escolar, acaba por ser o maior responsável pelas situações de abandono escolar.
The issue of early school dropout is a social concern, not only internationally, but also national, passing by the State, by different agencies of public administration and social solidarity and private sector. This issue has remained present in the Portuguese official documentation of education and researches continue to be made. The concern for the early school dropout is not confined only to Portugal but it extends to an European level. In Portugal, by the various existing studies, the early school dropout rate has been reduced, however, the phenomenon is still present today, remaining still a considerable delay in relation to the European target set. The phenomenon of school dropout is very visible in vocational courses, so our research aims to achieve an answer to a question of general range: What perceptions have students, teachers and leaders about the factors that contribute to early school dropout in vocational courses? In order to answer this question we proceeded to the formulation of sub-questions: How is school organised to prevent early school dropout? How are students at risk of early school dropout diagnosed? What concrete actions are taken place to prevent students at risk of early school dropout from effectively dropping out of school? How have students who left the vocational courses without completing the 12th form experienced and felt school? How do students at risk of early school dropout experience and feel school? In order to obtain an answer to these questions, we proceeded to a review of literature that allowed us to sketch the evolution of the phenomenon at national and European terms and analyse the measures that have been implemented to prevent it. We have elected to our investigation two data collection techniques, document analysis (biographical records of students, minutes of class meetings, final evaluation grids and structuring documents of the School, Educational Project, Rules, and Curriculum Development Plan) and semi-structured interviews. The interviews were conducted to the School Principal, a Class Director of a vocational course, teachers, students at risk of early school dropout and young people who have dropped out the educational system.The data collected and analysed in this study allows us to conclude that the educators interviewed, namely the School Principal and teachers have the same perception regarding the factors that contribute to early school dropout in vocational courses, identifying the main factors: the economic difficulties leading families to emigrate in search of better living conditions, the demand for financial autonomy, the accumulated difficulties that lead to a total lack of interest in school and the fact of belonging to dysfunctional families that often discourage the frequency of school. Behavioural problems and the high number of absences and lack of engagement are reported as factors that often lead to situations of school dropout. The conclusions reached by our study seem to meet the currents of thought of other researchers to the extent that there is a lack of adequate answers, by the school, for most school failure situations, expecting students to learn by themselves, what makes them to drop out of the educational system. We also conclude, that the school model that we have, with its traditional and unquestioned grammar of schooling, tends to be the most responsible for the situation of school dropout.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/21476
Aparece nas colecções:FEP - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Carla Comenda_Dissertação.pdf1,25 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.