Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/18805
Título: Atitudes e comportamentos de saúde oral em estudantes de medicina dentária em Portugal e na Holanda : um estudo comparativo
Autor: Dias, Ana Rita de Sousa Saraiva
Orientador: Veiga, Nélio
Figueiredo, Andreia
Palavras-chave: Atitudes e comportamentos de saúde oral
estudantes de Medicina Dentária,
Portugal
Holanda
HUDBI
Oral health attitudes and behaviours
dentistry students
Portugal
Netherlands
HUDBI
Data de Defesa: 29-Jul-2015
Resumo: Introdução: Os estudantes de Medicina Dentária de hoje serão os futuros médicos dentistas, sendo responsáveis pela promoção e educação para a saúde oral (SO). As atitudes e os comportamentos dos profissionais de SO para com a sua própria saúde refletem o seu entendimento da importância dos procedimentos de prevenção dos problemas orais, podendo contribuir para o aperfeiçoamento da SO dos seus pacientes. Objectivos: Comparar as atitudes e os comportamentos de SO entre estudantes portugueses e holandeses. Materiais e Métodos: Realizámos um estudo transversal numa amostra de 281 (58,1%) estudantes de Medicina Dentária da Radboud University Nijmegen e 201 (41,9%) da Universidade Católica Portuguesa, Viseu. A recolha de dados foi efetuada através de um questionário auto-aplicado sobre as atitudes e os comportamentos de SO, que incluía o inventário Hiroshima University Dental Behavioural Inventory (HUDBI). Resultados: Verificámos que 69,5% dos estudantes portugueses e 63,3% dos holandeses adotaram atitudes e comportamentos de SO pouco adequados. A média de scores do HUDBI obtida pela amostra holandesa foi superior à portuguesa (8,0±1,2 vs. 7,8±1,5; p=0,045). Os estudantes holandeses do 1º e 2º anos, cujos pais não eram profissionais de SO e eram não fumadores apresentaram melhores atitudes e comportamentos de SO comparativamente aos portugueses (p=0,013; p=0,017; p=0,048; p=0,047; respectivamente). Conclusão: Existe uma grande variabilidade relativamente às atitudes e aos comportamentos de SO entre estudantes de diferentes países, sendo que o nosso estudo apresentou resultados superiores. Ainda assim, as atitudes e os comportamentos de SO dos estudantes holandeses foram melhores que as dos portugueses. É bastante importante mudar a forma como se faz educação para a SO. O planeamento de estratégias de ensino para mudanças de comportamentos em SO deve dar relevância ao ensino de técnicas de autocuidado, no sentido de alertar para a percepção dos factores de risco que estão na origem das doenças orais.
Introduction: Today’s dentistry students are going to be the future dentists responsible for oral health education and promotion. Oral health professionals’ attitudes and behaviours towards their own health reflect their understanding about the importance of oral problems prevention and may contribute to the improvement of their patient´s oral health. Objectives: To compare oral health attitudes and behaviours among Portuguese and Dutch students. Materials and Methods: We conducted a cross sectional study in a sample of 281 (58,1%) dentistry students of Radboud University Nijmegen and 201 (41,9%) of Portuguese Catholic University, Viseu. Data collection was performed through a selfadministered questionnaire about oral health attitudes and behaviours, which included the Hiroshima University Dental Behavioural Inventory (HUDBI). Results: We found that 69,5% of Portuguese students and 63,3% of Dutch students adopted less adequate oral health attitudes and behaviours. The average scores of HUDBI obtained by the Dutch sample was higher than the Portuguese sample (8,0±1,2 vs. 7,8±1,5; p=0,045). Dutch students of the 1st and 2nd years, whose parents were not oral health professionals and were non-smokers had better oral health attitudes and behaviours compared to Portuguese students (p=0,013; p=0,017; p=0,048; p=0,047; respectively). Conclusion: There is a wide variability in relation to oral health attitudes and behaviours among students from different countries and our study showed superior results. Still, Dutch students’ oral health attitudes and behaviours were better than the Portuguese. It is very important to change the way we do oral health education. The planning of teaching strategies for oral health behavioural changes should give importance to teaching self-care techniques, towards to alert to the perception of risk factors what are in the origin of oral diseases.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/18805
Aparece nas colecções:ICS(V) - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese _Final_RITA_Impressão.pdf4,05 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.