Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/18763
Título: Revitimização, perda de recursos e perturbação pós-stress traumático nas mulheres portuguesas utentes da consulta de planeamento familiar
Autor: Guimarães, Sara Mendes Martins
Orientador: Costa, Eleonora Veiga Cunha
Palavras-chave: perturbação de stress pós-traumático
abuso infantil
revitimização
recursos de coping.
posttraumatic stress disorder
child abuse
revictimization
coping resources
Data de Defesa: 13-Mai-2015
Resumo: O trauma infantil constitui um grave problema de saúde pública que ameaça a segurança, dignidade e desenvolvimento biopsicossocial e afetivo da vítima, com impactos psicossociais negativos que ressoam na idade adulta. A presente investigação teve como objetivos analisar as diferenças entre as mulheres vítimas de trauma infantil e mulheres sem trauma ao nível da perda de recursos psicossociais, da Perturbação de Stress Pós-Traumático (PSPT) e da revitimização, tal como a relação entre as variáveis e respetivos preditores, numa amostra de 767 mulheres, utentes da consulta de planeamento familiar dos cuidados de saúde primários. Os resultados revelam que as mulheres vítimas de trauma infantil sofrem maior perda de recursos, PSPT e revitimização em comparação com as mulheres que não foram vítimas. Especialmente o abuso sexual infantil está associado à presença de PSPT, verificando-se também uma associação semelhante entre as vítimas de violação e assédio sexual e a PSPT, constatou-se ainda que estas vítimas tendem a sofrer de ambas as formas de abuso (assédio sexual e violação). Verificou-se que a tentativa de ameaça sexual está associada ao assédio sexual na idade adulta, sugerindo que as mulheres tendem a experienciar as duas situações. A análise de regressão logística permitiu verificar que dos distintos tipos de trauma infantil, o abuso sexual constitui o mais forte preditor para a presença de PSPT, com o modelo a explicar cerca de 50% da variância. Análises exploratórias revelaram que quanto maior é a gravidade do trauma infantil menor é o rendimento anual e maior é o número de filhos. Este estudo pretende contribuir para a criação de programas futuros de intervenção nas vítimas de mau trato infantil com o objetivo de tratar as mulheres com PSPT, evitar a revitimização e amortecer a perda de recursos. Sugere-se que em pesquisas futuras se comtemple a realização de estudos longitudinais possibilitando assim, estudar as mudanças de estado que ocorrem na população durante o período em que esta é seguida, permitindo estudar a incidência do trauma.
Childhood trauma is a serious public health problem that threatens the security, dignity and biopsychosocial and emotional development of the victim, with negative psychosocial impact that resonate in adulthood. This research aimed to analyse the differences between women victims of childhood trauma and women without trauma in terms of resource loss, Post-Traumatic Stress Disorder (PSPT) and revictimization, as well as the relationship between the variables and predictors, in a sample of 767 women attending family planning consultation of primary health care. The results showed that women victims of childhood trauma suffer greater resource loss, PSPT, rape, sexual harassment and attempted sexual threat in adulthood when compared to women who were not victimized. Especially, child sexual abuse is associated with the presence of PSPT, a similar association was found between the victims of rape, sexual harassment and PSPT, it was also found that these victims tend to suffer of both forms of abuse (sexual harassment and rape). It was found that sexual threat attempt is associated with sexual harassment in adulthood, suggesting that women tend to experience both situations. Logistic regression analysis showed that from the different types of childhood trauma, sexual abuse is the strongest predictor for PSPT, with the model explaining about 50% of the variance. Exploratory analyzes revealed that the higher is the severity of the childhood trauma the lower is these women’s annual income and more children they tend to have. This study aims to contribute to the creation of future intervention programs on victims of child abuse in order to treat women with PSPT, prevent revictimization and the buffering of resource loss. It is suggested that future studies use longitudinal studies to enable studying the changes of state that occur in the population during the period in which this is followed, allowing to study the incidence of trauma
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/18763
Aparece nas colecções:FF - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação de Mestrado Sara.pdf2,22 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.