Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/18422
Título: Rather no choice than frustrated choice? : the role of self-determination in an automotive supplier’s development towards an agile organisation
Autor: Menk, Kerstin
Orientador: Patient, David L.
Data de Defesa: 15-Jul-2015
Resumo: This M.Sc. thesis, written by Kerstin Menk, examines Deci and Ryan’s (1985, 2000, 2008) self-determination theory (SDT) in a specific business context. In order to respond to a volatile, uncertain, complex and ambiguous environment, an automotive supplying company recently introduced agile working methods which are strongly based on SDT. The author of this thesis, therefore, investigates the impact of self-determination in three different situations on employees’ performance. As a starting position, a model describing that self-determination impacts autonomous motivation which then, mediated by affect, influences performance, is derived from literature findings. Then, even though not statistically significant, a study with 208 participants reveals that the organisation would better provide its employees with the opportunity to choose between tasks as this yields higher performance outcomes than not providing choice occasions. Overall, the research findings demonstrate that those individuals with the highest motivation significantly perform best which is why the company is recommended to place greatest focus on achieving and maintaining high autonomous motivation within its employees. One way to do so, is by providing opportunities for self-determination – but only if employees’ choice can be accommodated. Otherwise, no choice rather than frustrated choice should be the managers’ credo.
Esta dissertação escrita por Kerstin Menk analisa a teoria de auto-determinação (SDT) de Deci e Ryan (1985, 2000, 2008) num contexto empresarial específico. A fim de responder a um ambiente volátil, incerto, complexo e ambíguo, uma empresa de fornecimento automóvel recentemente introduziu métodos de trabalho versáteis que são fortemente baseadas na SDT. O autor desta tese pesquisa o impacto da auto-determinação no desempenho dos funcionários em três situações diferentes. De acordo com a literatura, um modelo descreve que a auto-determinação afeta a motivação autónoma e que por sua vez influência o desempenho dos funcionários. Embora não estatisticamente sigificativo, um estudo feito com 208 participantes revela que a empresa providenciará mais eficazmente os seus funcionários da oportunidade de escolher as tarefas, uma vez que esta decisão faz com que o desempenho dos funcionários seja mais elevado. Contudo, o fato de um funcionário não receber uma das primeiras oportunidades para escolha de tarefas afetará mais negativamente a motivação autonoma, do que se não for dada nenhuma hipótese de escolha. Os resultados deste estudo mostram que os indivíduos com maior motivação têm um desempenho significativamente melhor. Deste modo, é recomendado que a empresa coloque mais ênfase em alcançar e manter a alta motivação autónoma entre funcionários. Uma das soluções é criar oportunidades para a auto-determinação - mas somente se a escolha dos funcionários pode ser acomodada. Caso contrário, nenhuma escolha, em vez de decepção de escolha, deve ser da responsabilidade do gestor.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/18422
Aparece nas colecções:FCEE - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Thesis_KerstinMenk_20150424_final.pdf2,23 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.