Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/18394
Título: Uppsala Model vs. Born Global theory : the case of Bind’s internationalization
Autor: Pereira, Marta Carqueja
Orientador: Leglise, Laure
Palavras-chave: Internationalization
Born Global
Born-again Global
Uppsala
Internationalization Model
Internet based company
Digital product
Internacionalização
Modelo de Internacionalização de Uppsala
Negócios online
Produto digital
Data de Defesa: 10-Jul-2015
Resumo: The term Born Global was defined in 1993 and since then, a lot of research has been focused in trying to explain these firms’ rapid internationalization. However, none of this research had focused in the internationalization process of Internet based Born Globals, while over the last years, companies, which use Internet as their primary distribution channel, have been increasing. In order to understand the internationalization behaviour of Bind, which is selling a digital product and is headquartered in Portugal but doing business on a global scale, this thesis applies the traditional model of internationalization, the U-Model, and the Born Global theory to this case. Using a comparison of both theories, this study tries to understand and explain the internationalization of Bind and which limitations this company’ internationalization imposes to the existent theories. Based on the evidence of a single case study and considering that this company’s business occurs on the Internet, I conclude that Bind internationalization is better explained using the Born Global theory and can be consider a Born-again Global firm. Though, the role of the networks, the international experience of the founder and the choice of target countries according to the psychic distance factor proposed by the BG theory, were not observed in this case study, which made me conclude that the Uppsala Model explains better this aspects of this company’s internationalization.
O termo ‘Born Global’ foi definido em 1993 e desde então muita investigação tem sido feita para tentar explicar a rápida internacionalização destas empresas. No entanto, nenhuma das investigações concentrou-se no processo de internacionalização das ‘Born Globals’ que vendem online, embora ao longo dos últimos anos as empresas que utilizam a Internet como o seu principal canal de distribuição, têm vindo a aumentar. A empresa Bind vende um produto digital, está sediada em Portugal e atua numa escala global. A fim de compreender a sua internacionalização esta tese aplica o modelo tradicional de internacionalização, o Modelo de Uppsala, e a teoria das ‘Born Global’ a este caso. Comparando as duas teorias, este estudo procura compreender e explicar a internacionalização da Bind e perceber as limitações que a internacionalização desta empresa impõe às teorias existentes. Baseada nas evidências de um estudo de caso e considerando que o negócio desta empresa ocorre na Internet, concluo que a teoria das ‘Born Global’ é a que melhor explica a internacionalização da Bind e que esta empresa pode ser considerada uma ‘Born-again Global’. No entanto, o papel das redes sociais, a experiência internacional do fundador e a escolha de países-alvo de acordo com o fator ‘psychic distance’ propostos pela teoria ‘Born Global’, não foram observados neste estudo de caso, o que me levou a concluir que o Modelo de Uppsala explica melhor estes aspectos da internacionalização desta empresa.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/18394
Aparece nas colecções:FCEE - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Master thesis (Marta Pereira 152113179).pdf1,36 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.