Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/18346
Título: Influência das emoções tristezas e nojo na tomada de decisão económica com risco : estudo experimental a associações com sintomas psicopatológicos
Autor: Ferreira, Maria Luísa Silva
Orientador: Dias, Pedro
Santos, Fernando Ferreira
Palavras-chave: Tomada de decisão
emoção
nojo
tristeza e psicopatologia
Decision-making
Emotion
Disgust
Sadness and Psychopathology
Data de Defesa: 8-Jul-2013
Resumo: Constantemente os indivíduos tomam decisões, sem que, na maioria das vezes tenham intencionalidade no processo de decisão. Para além disso, as tomadas de decisão, muitas vezes sofrem diversos tipos influência, como por exemplo, influência emocional. A literatura sugere que uma simples indução emocional altera o processo de decisão relativo à tarefa. Nas últimas décadas dois saberes distintos têm vindo a confluir e a propor modelos explicativos que correlacionam processos de tomada de decisão económica e influência emocional. A economia contribui com modelos explicativos acerca do processo de tomada de decisão económica sob risco e a psicologia avança com modelos teóricos acerca da influência emocional neste processo. As emoções estudadas no presente estudo foram o nojo e a tristeza. Considera-se o nojo uma das emoções mais influentes nas culturas de consumo, (Health, Bell, & Stenberg, 2001) uma vez que pode provocar tendências de ação que podem influenciar as escolhas económicas (Phelps, 2009). A tristeza, partilhando a mesma valência do nojo, pode associar-se, em muitos casos à presença de psicopatologia. O objetivo geral do estudo é verificar se os estudantes do ensino superior são mais ou menos aversos ao risco após a indução emocional de nojo e tristeza. Neste sentido, o presente estudo contou com 150 participantes divididos em por três condições experimentais, (I) Neutro, (II) Nojo e (III) Tristeza. Todos os sujeitos responderam a um inquérito sobre tarefas de decisão económica em cenários que envolviam ganhos ou perdas. De um modo geral, e contrariamente às hipóteses levantadas e ao que é defendido pela literatura, não foram registadas diferenças significativas entre a indução emocional e o processo de tomada de decisão económica. Contudo, foram encontradas diferenças significativas relacionadas com a idade e o género, e também em alguns domínios psicopatológicos, sugerindo novas linhas de investigação.
Constantly individuals make decisions without, in most of the times, having intentionality in the process of decision. Additionally, the decision making often suffer from different types of influence, such as emotional influence. Specialized literature suggests that during a task, a simple emotional induction can change the making-decision process. In the last decades two different types of knowledge have been converging and proposing explanatory models that correlate the economic decision-making under emotional influence. The economy contributes with explanation models of the economic decision-making under risk and psychology advances with theoretic models about the emotional influence in the process. The emotions studied in this study were Disgust and Sadness. Disgust is considered one of the most influential emotions in the consumer cultures since actions can be of some influence in the economic choices. The sadness, sharing the same valence as disgust, may be associated in many cases to the presence of psychopathology. The general purpose of this study is to test if university students are more or less averse to risk after emotional induction of Disgust and Sadness. In this sense, the present study included 150 participants divided into 3 experimental conditions: (I) Neutral (II) Disgust and (III) Sadness. They all answered to a survey about tasks of economic decisions in scenarios involving gains or losses. In general, and contrary to the hypotheses, and what is claimed in specialized literature, there were no significant differences between the emotional decisions and the process of economic decision-making although with significant variation changes related to age and gender, and also with some psychopathological domains, suggesting new lines of research.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/18346
Aparece nas colecções:FEP - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Maria Luísa Silva Ferreira.pdf1,69 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.