Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/18304
Título: Coopetition relations : cases and applications : conditions and characteristics for companies to successfully coopete
Autor: Robalo, João Miguel Sousa
Orientador: Pinheiro, Susana Frazão
Data de Defesa: 28-Abr-2015
Resumo: Due to the difficult and extremely competitive environment our economy is facing, solutions for companies to be able to bread are each time more scarce, and a lot of them seems to be unable to succeed on their own. Strategic alliances are becoming more attractive and representing the best cost-benefit strategy. Nevertheless, the right partner is not easy to find and the best solution seems to be the craziest one, which is to partner with your own competitor. This study provides and extent analysis to the essence of the collaboration relations and more specifically to the coopetition. Due to the complexity of the topic the format of case study was chosen, in order to understand the applicability and the behavior of partners in this type of relations. The case study is divided in three parts each one with a different perspective of the alliance with the competitors. From the case study, some adding to the literature review is made and some frameworks are proposed. The objective of the study is to analyse if it is possible to collaborate and compete simultaneously, with your own competitors and if yes, under which conditions is that sustainable and beneficial. It is concluded that a set of characteristics and triggers are required for the relation to succeed and believed that if those conditions are there and the factors on the pyramid triggers of collaboration, any group of companies in any market in Portugal can increase their chances of success as a coopetitive alliance.
Devido às dificuldades e competitividade da nossa economia, as soluções, para as empresas poderem respirar são cada vez mais escassas e muitas delas revelam-se incapazes de terem sucesso sozinhas. As alianças estratégicas estão a ser cada vez mais atractivas como solução, visto representarem a melhor estratégia em termos de custo-benefício. No entanto, o parceiro certo não é fácil de encontrar e neste caso a melhor solução parece ser a mais louca de todas, que consiste em formar aliança com os próprios competidores. Este estudo demonstra uma análise extensa ao tema da colaboração e mais especificamente da coopetition. Devido à complexidade do tópico, o formato de casos foi o escolhido, de forma a ser perceptível a aplicabilidade do tópico e o comportamento dos parceiros neste tipo de relação. O caso está dividido em três partes, cada uma com uma diferente perspectiva da aliança e dos competidores. Ao analisar o caso e a literatura relativa ao tópico, foram propostas ferramentas de análise a este tipo de relação. O objetivo do estudo é analisar se é possível competir e colaborar ao, mesmo tempo, com os competidores diretos e se sim, em que condições pode esta relação ser sustentável e proveitosa. A conclusão é de que um conjunto de caraterísticas e condições, são necessários para que esta relação funcione. Se essas condições estiverem presentes qualquer grupo de empresas, em qualquer Mercado em Portugal, pode aumentar a sua probabilidade de sucesso numa aliança com a concorrência.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/18304
Aparece nas colecções:FCEE - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Thesis - João Robalo.pdf1,29 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.