Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/18115
Título: Development of a functional orange juice powder by spray drying
Autor: Barbosa, Joana Inês Bastos
Orientador: Teixeira, Paula Cristina Maia
Data de Defesa: 7-Mai-2015
Resumo: The concept of functional food products has acquired a huge dimension with the enormous number of people concerned about consuming foods with health benefits. An innovative non-dairy functional food would be very attractive, not only to these consumers but also to specific niches in the market (e.g. lactose intolerants and vegetarians). The aim of this work was to develop a powdered functional orange juice. For this, cultures with probiotic characteristics were used and the necessary conditions to obtain the dried product by spray drying were defined. Two cultures were selected, a commercial probiotic, Lactobacillus plantarum 299v and an isolate from a food matrix, Pediococcus acidilactici HA-6111-2. Safety and the presence of some functional characteristics of P. acidilactici were investigated and compared with those of the commercial probiotic. None of the bacteria produced any of the virulence factors investigated; they did not exhibit significant resistance to antibiotics and reductions lower than one logarithmic cycle were observed after exposure to simulated gastro-intestinal tract conditions. It was also verified that both bacteria survived during the spray drying process and subsequent storage for 60 days. Powdered orange juice was initially obtained in a Büchi Mini Spray Dryer at constant feed temperature (ºC), flow rates of feed (mL/min), drying air (%) and compressed air (L/h) and varying inlet and outlet air temperatures (ºC) as well as the ratio of total soluble solids (orange juice): drying aid (10DE maltodextrin or gum Arabic). At selected inlet and outlet air temperatures of 120 ºC and 65 ºC, respectively, and ratio of soluble solids: drying aid of 0.5: 2, high drying yields and powders with low water activities (aw) were obtained. No cell inactivation was observed for each culture after incorporated into orange juice and spray dried. Their survival during storage at 4 ºC was higher than at room temperature under uncontrolled aw. Pediococcus acidilactici was more resistant than L. plantarum, especially during storage at 4 ºC, with logarithmic reductions lower than 1 log-unit during a period of at least seven months. To enhance survival of spray dried bacteria during storage, different pre-spray drying conditions were tested: i) different sugars were added to the culture media used (cell growth in the presence of lactose, followed by glucose resulted in the highest survival) and ii) cells were exposed to different sub-lethal stresses (only survival of L. plantarum cells during storage at room temperature was increased). For both cases, powders obtained were stored under different conditions of temperature, light exposure and aw. Generally, survival was enhanced at 4 °C, aw of 0.03 and absence of light. Cell viability during passage through simulated gastro-intestinal tract conditions was also investigated at the end of the storage at 4 ºC; the viability of both cultures was not enhanced by prior exposure to sub-lethal stresses. Survival of cultures in orange fruit powders obtained by spray-, freeze- and convective hot air drying was investigated during drying and subsequent storage. Cell inactivation was only observed during convective hot air drying (about 2 logarithmic cycle reduction). Minimal reductions were observed for P. acidilactici for most conditions of storage while for L. plantarum only during storage at 4 ºC. Taking into account the initial number of cells obtained after each drying process, the techniques which allowed survival of an increased number of cells after storage, were spray- and freeze drying. Better dissolution, color and vitamin C retention were also obtained when these techniques were used. Despite the scale-up and validation at industrial scale being still necessary, spray drying at pilot scale allowed producing a new functional orange juice powder with probiotic characteristics. The bacteria used demonstrated to be good candidates for the development of this product.
O conceito de alimento funcional tem adquirido uma enorme dimensão graças ao grande número de pessoas preocupadas em consumir alimentos com benefícios para a saúde. Um alimento funcional inovador, não lácteo, poderá ser de grande interesse não só para este grupo de consumidores, mas também para nichos de mercado específicos (ex. intolerantes à lactose e vegetarianos). Este trabalho teve como objetivo o desenvolvimento de um sumo de laranja funcional desidratado. Foram usadas culturas com características probióticas e definiram-se as condições necessárias para obtenção do produto desidratado através de secagem por atomização. Selecionaram-se duas culturas, um probiótico comercial, Lactobacillus plantarum 299v, e um isolado de uma matriz alimentar, Pediococcus acidilactici HA-6111-2. Testou-se a segurança e a presença de algumas características funcionais de P. acidilactici e comparou-se com o probiótico comercial. Nenhuma das bactérias apresentou quaisquer dos factores de virulência; não exibiram resistências significativas a antibióticos e observou-se uma redução inferior a um ciclo logarítmico após exposição às condições do trato gastro-intestinal simulado. Verificou-se ainda a capacidade de ambas as bactérias sobreviverem ao processo de secagem por atomização e posterior armazenamento durante 60 dias. O sumo de laranja em pó foi obtido, numa primeira fase, por desidratação num Büchi Mini Spray Dryer mantendo constantes a temperatura de alimentação (ºC), as taxas de fluxo de alimentação (ºC), do ar de secagem (%) e do ar comprimido (L/h), variando as temperaturas do ar de entrada e de saída (ºC) e a proporção de sólidos solúveis totais (do sumo): auxiliar de secagem (10DE maltodextrina ou goma arábica). Às temperaturas de entrada e de saída selecionadas de 120 e 65 ºC, respetivamente, e proporção de sólidos solúveis: auxiliar de secagem de 0.5: 2, elevados rendimentos e pós com baixas actividades de água (aw) foram obtidos. Não foi observada inativação celular das culturas após incorporação em sumo de laranja e desidratação por atomização. Observou-se uma sobrevivência superior durante o armazenamento a 4 ºC do que à temperatura ambiente, sob valores de aw não controlados. Pediococcus acidilactici apresentou maior resistência que L. plantarum, especialmente a 4 ºC, com perdas de viabilidade inferiores a um ciclo logarítmico durante um período de, pelo menos, sete meses. Para aumentar a sobrevivência das bactérias desidratadas, diferentes condições pré-secagem foram testadas: i) diferentes açúcares foram adicionados ao meio de cultura (maior sobrevivência após crescimento na presença de lactose e glucose) e ii) exposição das células a diferentes stresses sub-letais (aumento da sobrevivência de L. plantarum durante o armazenamento à temperatura ambiente). Em ambos os casos, os pós obtidos foram armazenados em diferentes condições de temperatura, exposição de luz e aw. Globalmente, a sobrevivência foi superior a 4 ºC, com aw controlada a 0.03 e na ausência de luz. A viabilidade celular das duas culturas durante a passagem pelo trato gastro-intestinal simulado foi também investigada no fim do período de armazenamento a 4 ºC e não aumentou com a exposição aos stresses sub-letais. Avaliou-se a sobrevivência das culturas durante a secagem por diferentes técnicas (atomização, liofilização e convecção por ar quente) e posterior armazenamento nos pós de laranja obtidos. Apenas a secagem por convecção causou inativação celular (redução de 2 ciclos logarítmicos). Reduções mínimas foram observadas para P. acidilactici na maioria das condições de armazenamento, enquanto que para L. plantarum apenas a 4 ºC. Tendo em conta o número inicial de células obtidas após cada processo de secagem, as técnicas que permitiram a sobrevivência de um maior número de células após armazenamento foram as de secagem por atomização e liofilização. Melhor dissolução, cor e retenção de vitamina C foram também obtidas por estas técnicas. Apesar de ser ainda necessário o scale-up e validação à escala industrial, a secagem por atomização à escala piloto permitiu produzir um novo sumo de laranja funcional com características próbioticas. Os microrganismos estudados demonstraram ser bons candidatos para o desenvolvimento desse produto.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/18115
Aparece nas colecções:ESB - Teses de Doutoramento / Doctoral Theses
R - Teses de Doutoramento / Doctoral Theses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Joana Barbosa_Thesis.pdf2,21 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.