Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/17779
Título: É possível sair do presente? Uma teoria prospetiva
Autor: Duque, Eduardo
Palavras-chave: Tempo
Temporalidades
Presente
Futuro
Previsão
Sociedade
Relativismo
A vida no tempo presente
Data: 2014
Editora: CECS - Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade Universidade do Minho
Resumo: Nas sociedades antigas, o tempo era percecionado de forma cíclica, mítica, sem duração, em que se arranca o homem, tal como descreve Mircea Eliade (1969), em Le mythe de l’éternel retour, do seu tempo individual cronológico, histórico, projetando-o, pelo menos simbolicamente, em um grande tempo que não se pode mensurar porque não é constituído por uma duração. Nas sociedades modernas, o conceito de tempo passou a assumir outras conotações, ao ser entendido como sucessão e continuidade, desenhado de forma mais objetiva e científica, veiculado sempre à liberdade da pessoa. Nas sociedades contemporâneas, marcadas por uma crescente complexidade, o tempo tornou-se um problema a, em parte, devido à instabilidade do futuro, que não permite qualquer tipo de previsão dos processos sociais e organizativos o que conduz, não só a um grande desconhecimento do próprio futuro, como a uma instabilidade do próprio presente.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/17779
Aparece nas colecções:FCS - Livros e partes de livros / Books and chapters



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.