Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/17279
Título: The impact of collectivism and uncertainty avoidance on concession frames in negotiations
Autor: Magalhães, Mariana Isabel dos Santos
Orientador: Turan, Nazli
Data de Defesa: 20-Fev-2015
Resumo: The aim of the present master’s thesis is to investigate framing effects in negotiation across cultures. This research analyses the potentially opposing effects of collectivism and uncertainty avoidance on concession frames in negotiations. Concession frames refer to presenting a concession in negotiation as emphasizing its costliness to the conceder versus its benefit to the receiver. Specifically, this thesis explored two contrasting viewpoints. On one hand, it is possible that a culture high on uncertainty avoidance may reciprocate the cost frame less as it is associated with ambiguity compared to the benefit frame. On the other, it is possible that collectivism, with its emphasis on self-sacrifice for the good of the group, might make receivers of the cost frame, reciprocate more than the benefit frame. This thesis tests these two contrasting predictions with participants from cultures high on both of these cultural dimensions, Portugal and Qatar in two experimental studies. The data revealed that receivers of the cost frame reciprocated their concessions more and had less negative views of their counterpart compared to receivers of the benefit frame. These findings suggest that collectivism must be the important dimension for the use of concession frames and are consistent with previous research conducted in North America (individualist society), which found that the cost frame is viewed less favorably than the benefit frame. The available evidence shows that framing effects in negotiation are subject to change around the world.
O objectivo da presente tese de mestrado é investigar, em diferentes culturas, os efeitos de enquadramento (framing effects) nas negociações. Assim, analisam-se os potenciais efeitos opostos do coletivismo e da aversão à incerteza nos quadros de concessão (concession frames) nas negociações. Quadros de concessão referem-se à forma de apresentar uma concessão numa negociação, dando ênfase ou ao custo que o concedente acarreta ou ao benefício para o destinatário. Especificamente, é possível que uma cultura com alta aversão à incerteza retribua menos o quadro custo (cost frame), dado estar associado a ambiguidade comparativamente ao quadro benefício (benefit frame). Por outro lado, é possível que o coletivismo, que dá ênfase ao sacrifício pelo grupo, leve os recetores do quadro custo a retribuir mais. Esta tese testa as duas hipóteses contrastantes, em dois estudos experimentais, com participantes de culturas com valores altos nas referidas dimensões culturais, Portugal e Qatar. Os dados revelaram que os recetores do quadro custo retribuíram mais e tiveram perceções menos negativas acerca do outro negociante, comparativamente aos do quadro benefício. Assim, o coletivismo deverá ser a dimensão relevante nos quadros de concessão, o que é consistente com estudos já realizados na América do Norte (sociedade individualista), que revelaram que o quadro custo é visto de forma menos favorável que o quadro benefício. As evidências disponíveis mostram que os efeitos de enquadramento na negociação podem sofrer alterações à volta do mundo.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/17279
Aparece nas colecções:FCEE - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Master´s Thesis Mariana Magalhães.pdf4,61 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.