Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/17051
Título: The problem of cultural distance in International Business : cultural distance's influence in Zippy's entry mode process
Autor: Cunha, Cláudia Sofia Freitas Braga da
Orientador: Silva, Susana Costa e
Palavras-chave: Cultura
Distância Cultural
Seleção dos modos de entrada
Empresa multinacional
Kogut e Singh
Hofstede
Culture
Cultural Distance
Entry mode choices
Multinational Enterprise
Data de Defesa: 23-Jul-2014
Resumo: A partir dos anos 70, a literatura relacionada com gestão e sociologia começou a revelar um interesse crescente sobre o tema das interações entre culturas, em especial após a publicação do livro de Hofstede (1980) Culture's Consequences e do índice de distância cultural de Kogut e Singh (1988), o qual deriva do estudo acima mencionado. Contudo, de acordo com a nossa revisão da literatura, a influência exercida pela distância cultural na seleção dos modos de entrada tem demonstrado ser uma temática não consensual entre académicos. Na tentativa de clarificar e revelar novos dados sobre este tópico, optámos por concentrar os nossos esforços em estudos anteriormente publicados por autores como Barkema et al. (1997), Barkema e Vermeulen (1997) e Kogut e Singh (1988). No que concerne à parte empírica deste estudo, decidimos centrar a nossa atenção no processo de internacionalização de uma empresa multinacional portuguesa. Deste modo, através do recurso à metodologia de estudo de caso, foi-nos possível observar e analisar os modos de entrada escolhidos pela Zippy, bem como estabelecer uma relação entre o processo infra mencionado (i.e. o percurso internacional da empresa multinacional) e o nosso modelo de investigação. Para além disso, houve a possibilidade de confirmar a premissa previamente definida (i.e. quando as empresas entram em países culturalmente distantes, estas tendem a optar por modos de entrada menos complexos, tais como exportação e contratos, em detrimento de investimentos estrangeiros diretos) e assim providenciar uma resposta para a nossa questão de investigação: A distância cultural influencia a seleção dos modos de entrada de uma empresa? Após o estudo dos modos de entrada escolhidos pela Zippy para expandir o seu negócio para o Egipto, Malta e Kuwait (países culturalmente não muito distantes de Portugal), concluímos que tal seleção parece também ser influenciada pelo risco político percecionado em relação ao mercado alvo. Desta forma, defendemos que a distância cultural tem impacto direto no processo de internacionalização de uma empresa. Contudo, quando existe um elevado risco político, os gestores tendem a adicionar esta variável à equação.
Since the 70's, cross-cultural interactions has become a topic of growing interest within management and sociological literature, especially after the release of Hofstede's (1980) book "Culture's Consequences" and Kogut and Singh's (1988) cultural distance index, which derived from the aforementioned study. However, according to our literature review, the influence that cultural distance tends to have on the firm's entry mode choices is not a consensual topic among academics. In an attempt to clarify and unveil this issue we concentrated on previous studies from authors such as Barkema et al. (1997), Barkema and Vermeulen (1997) and Kogut and Singh (1988). As for the empirical part of this study, we have decided to focus our attention on a Portuguese Multinational Enterprise's (MNE) internationalization process. Through the use of the case study methodology, we could observe and analyze Zippy's entry mode choices, as well as establish a relationship between the aforementioned process (i.e. MNE's internationalization path) and our research model. We were also able to confirm our proposition (i.e. when entering in high culturally distant countries, firms tend to choose less complex entry modes like Exports or Contracts, instead of FDI) and provide an answer to our research question: Does cultural distance influence the firm's entry mode choice? Furthermore, after studying the entry modes chosen by Zippy to expand its business to Egypt, Malta and Kuwait (countries culturally not very distant from Portugal); we concluded that the firm's entry mode choice also seems to be influenced by the perceived target market's political risk. Therefore, we argue that cultural distance has direct impact on the company's internationalization process, but when there is a high political risk involved, managers tend to add this variable into the equation as well.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/17051
Aparece nas colecções:FEG - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
The problem of cultural distance in International Business.pdf2,09 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.