Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/16785
Título: Amanhecer : a new dawn for Recheio?
Autor: Ribeiro, Pedro Filipe Amado Flores
Orientador: Guedes, Nuno Magalhães
Data de Defesa: 7-Fev-2013
Resumo: Jerónimo Martins (JM) was the largest Portuguese distributor with its activity focused on the Portuguese and Polish markets, and more recently on Colombia. More than 60% of its revenues were coming outside of Portuguese boarders, but in spite of that Pingo doce and Recheio were exceling in a market that, overtime, was losing its attractiveness. Pingo Doce was the largest supermarket chain in Portugal with more than 360 stores. Recheio, JM’s wholesaler, was essentially selling to HORECA and the traditional retail segment. Given the economic situation in Portugal, Recheio decided to convert its private label Amanhecer, that was sold in many groceries, into a partnership – called Amanhecer stores – that would allow both partys to thrive. First, Recheio would ensure that between 60 to 80% of the products sold in these stores were supplied by them, and on the other hand, the grocery owners would benefit from special buying conditions not only with Recheio but also with electricity suppliers and others. The aim of this thesis is to understand if a company like JM that in the past, with the growth of Pingo Doce, was indirectly responsible for the closing down of many traditional stores, could now be the answer that grocers need to save this segment.
A Jerónimo Martins (JM) era a maior cadeia de distribuição Portuguesa a actuar no mercado Português e Poláco, e mais recentemente na Colômbia. Apesar de mais de 60% das suas vendas advir do mercado externo (Polónia), o Pingo Doce e o Recheio continuavam a assumir um bom desempenho, num mercado que ao longo do tempo, via a sua atractividade diminuir. O Pingo Doce era a maior cadeia de supermercados em Portugal, que contava já com mais de 360 lojas. O Recheio cash & Carry, contava essencialmente com dois canais de escoamento para os seus produtos, o HORECA e o segmento tradicional. Graças à situação delicada da economia Portuguesa, o Recheio decidiu converter a sua “marca branca” Amanhecer, normalmente já vendida no comércio tradicional, numa parceria entre eles e os donos das mercearias chamada Lojas Amanhecer, que permitiria aos dois prosperar no mercado. Por um lado, o Recheio iria assegurar entre 60 a 80% do fornecimento destas lojas, por outro, os donos das mercearias iriam beneficiar de um conjunto de regalias e condições especiais com o Recheio e outros fornecedores de serviços. Concluindo, o objectivo deste trabalho é compreender se uma organização como a JM, que graças ao crescimento do Pingo Doce, foi indirectamente uma das responsáveis pelo fecho de muitas das lojas do comércio tradicional, poderá agora, vir a ser a resposta de que os merceeiros precisam para manterem as portas abertas.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/16785
Aparece nas colecções:FCEE - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Amanhecer_Final_PedroAmado.pdf2,35 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.