Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/16684
Título: Cuidados ao doente em agonia
Autor: Paiva, Ana Elisabete Freitas de
Orientador: Vieira, Margarida
Palavras-chave: Palliative care
care of the dying
last days and hours of life
Data de Defesa: 29-Nov-2012
Resumo: Introdução: Prestar cuidados de saúde ajustados à fase clinica em que o doente se encontra constitui uma prioridade para proporcionar qualidade de vida ao mesmo. Os cuidados paliativos definem-se como uma resposta ativa aos problemas decorrentes de uma doença avançada, progressiva e incurável, prevenindo e aliviando o sofrimento que a mesma provoca. Numa fase de agonia, tendo em atenção uma visão holística, são inúmeras as necessidades que devem ser satisfeitas. A identificação dos sinais e sintomas nesta fase permite estabelecer/definir estratégias de intervenção ajustadas. O uso de um protocolo como o Liverpool Care Pathway for the Dying Patient (LCP) constitui uma ferramenta que pode servir de apoio na tomada de decisões sobre os cuidados aos doentes agónicos. População e metodologia: Estudo observacional analítico transversal. A amostra foi constituída por 182 doentes que faleceram no serviço de cuidados paliativos e por 81 doentes que faleceram num serviço de medicina do IPO do Porto. Os dados foram obtidos tendo por base o preenchimento do formulário facultado pela equipa responsável pela orientação e implementação do LCP. As variáveis estudadas foram: o sexo e a idade dos doentes; o diagnóstico; o estado de consciência nas últimas 24h/48h de vida; a identificação pela equipa multidisciplinar do estado de agonia; o doente/a família ou cuidador sabe que se encontra numa situação de morte iminente, uma vez diagnosticada a agonia; oportunidade para o doente/a família ou cuidador discutir sobre o que é importante para si (por ex. desejos, sentimentos, fé, crenças, valores); prescrição de terapêutica para os cinco sintomas mais previsíveis em agonia (dor, agitação, estertor, náusea e vómitos e dispneia); reavaliação pela equipa multidisciplinar da necessidade das intervenções em curso uma vez diagnosticada a agonia - colheita de sangue para analise, antibioterapia, pesquisa de glicemia capilar, avaliação de sinais vitais, oxigenoterapia; ordem de não reanimação; avaliação da necessidade de nutrição medicamente assistida pela equipa multidisciplinar; avaliação da necessidade de hidratação medicamente assistida pela equipa multidisciplinar; explicado o plano de cuidados ao doente e à família/cuidador. Resultados e Discussão: Em ambas as populações de doentes foi verificada a ausência de sistematização dos registos clínicos. No Serviço de Medicina os cuidados não eram periodicamente reavaliados e/ou ajustados. No Serviço de Cuidados Paliativos havia especial atenção para adequar o plano de cuidados ao doente e ponderação em relação a intervenções que pudessem ser encaradas como fúteis. Conclusão: A mudança de estratégias perante um doente agónico é fundamental para proporcionar cuidados de excelência.
Background Providing good care in the last few days of life can be considered as a priority in order to improve patient quality of life. Palliative care provides relief from pain and other distressing problems associated with life-threatening illness, through the prevention and relief from suffering. In the last days and hours of life a team approach is required in order to address the needs of patient and their families and plan good quality care of the dying. The Liverpool Care Pathway (LCP) for the Dying Patient incorporates appropriate guidelines and empowers generic health care workers to deliver optimal care in the last days and hours of life. Methods: Retrospective routine notes review, Cross-sectional analytical study. The sample was made of 182 patients that died in the palliative care unit and 81 patients that died in an oncologic medical ward in IPO Porto. Multiprofessional routine notes of last 5 days of life were analysed using the base review formularies given by the LCP team.The variables were: gender; age; diagnosis; consciousness level in the last 24/48 hours of life; multidisciplinary team agreement that the patient is dying; patient and family´s expression of understanding of plan of care; patient and family’s opportunity to discuss religious and spiritual needs; medication written up for pain, agitation, respiratory tract secretions, nausea and vomiting and dyspnoea; team discussion about inappropriate interventions – blood tests, antibiotics, capillary glycemia, taking vital signs, oxygen therapy, not for cardiopulmonary resuscitation; review of nutricional and hydration needs. Results: In both settings there was lack of routine notes concerning the care in last days and hours of life. In the medical ward, most of the care plans were not reviewed by the health care team, while in the palliative care unit appropriate care was more often delivered and futile interventions suspended. Conclusions: Being able to prioritize care to ensure that patient and family needs are met is the way to provide the best possible care.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/16684
Aparece nas colecções:ICS(P) - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Cuidados ao doente em agonia_Ana Paiva_Junho de 2012.pdf2,48 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.