Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/16599
Título: Generg : Which renewable technology for the next decade
Autor: Marta, Eduardo Miguel Simões Sebastião Rocha
Orientador: Pires, João Simões
Palavras-chave: renewable
energy
electricity industry
regulated prices
energia renovável
mercado eléctrico
preços regulados
Data de Defesa: 22-Out-2014
Resumo: Generg, a Portuguese based company and a promoter of renewable energies, has been operating for over 25 years. During its first decade of activity, it started by exploring small hydric power plants, and then diversified into wind power. It subsequently expanded once more, in terms of employed technologies, with the construction of two solar power parks. Generg’s current portfolio comprises a total of 487.6 MW of clean power, distributed by 436.4 MW of wind capacity, 33.2 MW of hydro capacity and 18 MW of solar capacity. Nowadays, after several years without new investment, an opportunity to invest in a new renewable park appeared. The company holds a license to explore wind energy, with a total of 20 MW of power generation capacity, which can be converted to solar energy, due to the smaller environmental impact of this alter. The present case analyzes the evolution of the company over time, as well as the strategy it followed. It also contemplates an overview of the renewable energy industry in Portugal and the global panorama. The main objective of the case is to put the reader in the position of making a decision, concerning this new investment opportunity, contemplating immediate advantages, for both technologies, with long term concerns and expectations. Should Generg maintain the license for wind technology? Or should it converted it for solar?
A Generg, uma empresa portuguesa, promotora de energias renováveis, tem vindo a desenvolver a sua actividade há 25 anos. Começou com o desenvolvimento e exploração de centrais mini hídricas, durante a sua primeira década de actividade, passando então para a energia eólica. Expandiu, uma vez mais, o seu portfólio, com a construção de dois parques solares. O portfólio actual da Generg é de 487.6 MW de potência, distribuídos em 436.4 MW de potência eólica, 33.2 MW de potência hídrica e 18 MW de potência solar. Actualmente, e após vários anos sem investimentos, surgiu a oportunidade de financiar um novo parque renovável. A Generg tem uma licença de exploração em tecnologia eólica, num total de 20 MW de capacidade. Esta licença pode ser alterada para energia solar, uma vez que esta alternativa apresenta menor impacto ambiental. O presente caso, analisa, de forma detalhada, a evolução da empresa ao longo do tempo, bem como a estratégia por ela seguida. Contemplando também uma analise à industria das energias renováveis nacional, assim como o panorama internacional. O objectivo primordial do caso é colocar o leitor na posição de tomada de decisão sobre a nova oportunidade de investimento, contemplando tanto vantagens imediatas, como preocupações e expectativas futuras. Deve a Generg manter a licença de exploração eólia? Ou deve mudar para energia solar?
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/16599
Aparece nas colecções:FCEE - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
tese_generg_eduardomarta_final.pdf1,87 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.