Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/16491
Título: Estudo e tratamento de conservação e restauro da escultura de madeira dourada e policromada de S. João Baptista da igreja de S. Francisco do Porto
Autor: Matos, Carla Sofia Pacheco
Orientador: Calvo, Ana
Barata, Carolina
Palavras-chave: S.João Baptista
Escultura de madeira dourada e policromada
Conservação e restauro
Métodos de construção de escultura em madeira
Data de Defesa: 2012
Resumo: A informação disponível sobre os materiais e técnicas utilizadas na escultura policromada portuguesa do século XVIII é muito reduzida. Esta falta de informação, mais do que nas técnicas e materiais utilizados na policromia, encontra-se nos métodos de construção do suporte. Este trabalho teve então, como objectivo principal, para além do tratamento de conservação e restauro – que consistiu na estabilização química e física da obra – da escultura de madeira dourada e policromada de S. João Baptista, o estudo dos métodos de construção aplicados no século XVIII, para de um modo geral contribuir para o conhecimento dos mesmos. Neste trabalho, na realização do estudo histórico e artístico da obra, foi desenvolvida uma pesquisa bibliográfica e de fontes documentais sobre o enquadramento no retábulo a que pertence, a época e iconografia do S. João Baptista. Para a elaboração do estudo dos materiais e técnicas utilizados na execução da obra, foram realizados exames e análises laboratoriais. Realizaram-se fotografias no espectro vísivel – para documentar o estado inicial da obra antes do tratamento – e invisível com o objectivo de identificar e avaliar os materiais presentes na superfície. De forma a conhecer o método de construção do suporte da escultura e o estado de conservação deste, foram realizadas duas radiografias, de frente e perfil. Para a identificação do suporte foram recolhidas amostras da madeira e observadas por microscopia óptica (OM). Foram recolhidas também amostras da policromia (livro, mão direita, vestes, lábio, cordeiro, rochas, peanha, base da escultura, reverso das vestes, interior das vestes) tendo sido também observadas por OM, para a sua caracterização dos materiais presentes, sendo que para um tratamento mais sistemáticos foi realizado o exame de flurescência de raios X dispersiva de energia (EDXRF) em cinco pontos em comum com os cortes estratigráficos (livro, mão direita, vestes, lábio e cordeiro). De forma a complementar estes exames foi realizado, nas amostras da peanha e da barba, o exame de microscopia electrónica de varrimento com espectrometria de raios – X dispersivo de energias (SEM-EDS), de forma a esclarecer algumas dúvidas sobre a policromia presente. Por ultimo foram realizados tingimentos, para a identificação orientativa do aglutinante utilizado na camada de preparação e das carnações. A realização destes exames e análises permitiu um conhecimento melhor da escultura em estudo. Originalmente, a imagem de S. João Baptista foi entalhada num só bloco de madeira, tendo somente parte do cordeiro sido entalhado separadamente. Foi observada uma camada de preparação por toda a obra, com excepção das carnações, composta por gesso aglutinado em cola animal. Também com excepção das carnações, e do interior das vestes, foi aplicada uma camada de bolo, igualmente aglutinado em cola animal. Originalmente a policromia identificada foi: nas vestes, segundo a decoração de estofado, ou seja foi aplicado folha de ouro e sobre esta o pigmento Umbra; o livro decorado pela mesma técnica, contudo na folha metálica foi identificada uma liga metálica de ouro e cobre sendo que foi possivelmente aplicada uma laca; o cordeiro, pela presença de ouro, possivelmente foi decorado pela técnica de estofado; nas carnações são constituídas por gesso branco de chumbo e ocre vermelho; e a peanha foi policromada por um pigmento verde, possivelmente malaquite ou verdete. A escultura, com excepção da frente das vestes e das rochas, foi repolicrmoda. Nas carnações foi aplicado um pigmento constituído por cré branco de chumbo e ocre vermelho. A peanha apresenta várias camadas de repolicromia, constituídas por gesso e branco de chumbo, sendo que esta é de cor verde na superfície. Quanto ao revestimento final, foram identificados dois: uma aplicação de goma laca e sobre esta uma camada de cera. Neste trabalho foi também desenvolvido um estudo de caso sobre os métodos de construção do suporte. Foi realizada uma consulta de bibliografia e de processos no Centro de Conservação e Restauro e no Instituto de Museus e Conservação, para a identificação dos métodos de construção do suporte de madeira no século XVIII. Foi concluído que a escultura de S. João Baptista, objecto de estudo neste trabalho, apresenta um método de construção peculiar, para uma obra da sua dimensão, não tendo sido encontradas obras com características semelhantes.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/16491
Aparece nas colecções:EA - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.