Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/16449
Título: História de sombras : como ver de modo diferente o escuridão dentro do cinema
Autor: Azevedo, Koji Adelino Ogino de
Orientador: Feray, Jenny
Ruiz, Carlos
Palavras-chave: Sombra
Luz
Expressionismo
Estereótipos
Cinema Português
Data de Defesa: 18-Nov-2013
Resumo: A sombra, vulgarmente, é descrita, na literatura, como um elemento básico enraizado na sociedade e no nosso quotidiano. No entanto, o seu significado difere de cultura para cultura. No contexto português, a sombra está muitas vezes associada a aspetos obscuros como por exemplo o “mundo dos mortos”. Parece-nos importante distinguir o conceito de sombra do de escuridão. A Sombra, segundo uma nova perspetiva que a distingue como algo não generalizado e rico em conteúdo com uma conotação totalmente distinta das habituais. Ao analisarmos a sombra nesta perspetiva existe a possibilidade de ganharmos uma nova habilidade de transformar a sombra num conceito mais dinâmico e criativo. O objetivo deste estudo é apresentar uma visão da sombra segundo aspetos menos estereotipados, geralmente associados ao obscuro e contribuir para a definição de um conceito que possa contemplar algo de positivo dando destaque a cenas que se pretendem filmar, conferindo-lhe uma visão estética diferente e uma carga emocional que possa ser sentida pelo observador. O estudo não tem como objetivo alterar a linha do tempo, nem o significado que a sombra foi tendo e que se refletiu nas obras audiovisuais portuguesas, desde a década de 30 até hoje. Tem, antes, como finalidade contribuir para a apresentação de um ponto de vista diferente daquele que foi criado pelo mundo audiovisual português. A sombra tem vindo a ser vista no cinema português, mas também, de forma geral, no cinema mundial como algo primitivo, infantil e até instintivo (Lira, 2008), mas no nosso ponto de vista, o que a sombra realmente pode representar, não é só uma projeção de algo opaco. A sombra poderá abraçar ideias e elementos tão importantes e vivos, como a luz. Os objetos e formas são definidos graças à sombra. A sombra poderá dar realce a um cenário a objetos ou pessoas, tal como a luz. Pretendemos assim com este estudo chamar a atenção para estes aspetos e que consideram dignos de interesse para que em futuros projetos, se possa evidenciar no contexto cinematográfico português de uma forma mais positiva e menos estereotipada. Acreditamos que com este entendimento do conceito em estudo se poderá propiciar para além do contraste de ideias, uma discussão em torno do significado que a sombra poderá ter no mundo cinematográfico. Com este estudo procuramos fomentar a criação de um novo entendimento do conceito de sombra e através desta dissertação de mestrado procuramos evidenciá-lo na curtametragem “Fogo & Prata”. Apenas das dificuldades sentidas ao longo deste processo, pensamos ter conseguindo dar pistas para que em futuros trabalhos algumas das ideias versadas tenham eco em abordagens cinematográficas com uma nova visão de sombra.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/16449
Aparece nas colecções:EA - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
dissertação Koji Azevedo.pdf228,75 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.