Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/16299
Título: Avaliação da perceção da autoeficácia dos membros da família prestadores de cuidados que tomam conta de familiares dependentes no autocuidado : estudo exploratório no concelho do Porto
Autor: Queirós, Carmen Dolores Ribeiro
Orientador: Pereira, Filipe
Parente, Paulo
Palavras-chave: perceção de autoeficácia
membro da família prestador de cuidados
self-efficacy
family caregiver
Data de Defesa: 13-Fev-2014
Resumo: Esta investigação teve como objeto de estudo a perceção de autoeficácia (PAE) dos membros da família prestadores de cuidados (MFPC). O aumento do número de pessoas dependentes no autocuidado, decorrente de inúmeras causas, conduz a um acréscimo do número de membros da família que assumem o papel de prestador de cuidados. A perceção de autoeficácia é a convicção de que se é capaz de executar com êxito os comportamentos requeridos para produzir as consequências desejadas. Os objetivos definidos para este estudo foram: conhecer o nível de perceção de autoeficácia dos membros da família prestadores de cuidados, no seio das famílias clássicas do concelho do Porto e explorar as relações entre a perceção de autoeficácia e as variáveis de atributo dos membros da família que prestam cuidados e das pessoas dependentes. O estudo realizado enquadra-se num paradigma de investigação quantitativa, do tipo exploratório e descritivo. A amostra utilizada foi probabilística e estratificada em função do peso relativo de cada freguesia do concelho, no universo total de famílias clássicas do concelho do Porto. Para a recolha de dados optou-se por uma abordagem “porta a porta”, com recurso a um formulário. A perceção de autoeficácia foi avaliada através de um instrumento específico, construído através da discussão no seio do grupo de investigação e da revisão da literatura. Na sua construção foi tomada como principal referência o trabalho de Schumacher e colaboradoras (2000) – Family Caregiving Skill: Development of the Concept. Os resultados apurados mostram-nos que a grande maioria dos familiares cuidadores perceciona-se como “muito competente”, para cuidar do seu familiar dependente. Porém, considerando os scores médios de PAE, existem domínios em que membros da família prestadores de cuidados se percecionam menos competentes. Neste particular merecem destaque domínios como lidar com a dependência do familiar para: “virar-se”, “transferir-se”, “uso do sanitário” e “tomar a medicação”. Considerando os processos de cuidar, descritos por Schumacher e colaboradoras (2000), os MFPC julgam-se menos competentes no “aceder a recursos”. Apesar dos membros da família prestadores de cuidados se percecionarem como muito competentes no desempenho do papel, identificamos muitos indicadores nas (sub)escalas com baixa casuísta. Importa que enfermeiros assistam os MFPC na consciencialização para o papel e colaborem na construção da definição pessoal de cuidar do membro da família.
This investigation meant to study the self-efficacy perception of family caregivers. The increase of the number of persons depending on the self-care, deriving from countless causes, leads to a growth of the number of members of the family that take over the role of caregiver. The self-efficacy perception is the conviction of being able to successfully perform the requested behaviour to produce the desired consequences. The aims defined for this study were: to get to know the level of self-efficacy perception of the family caregivers, within the classic families of the council of Oporto as well as to explore the connection between the self-efficacy perception and the variables of attribute of family caregivers and of the dependent people. The performed study fits in a paradigm of quantitative investigation, of the exploratory and descriptive type. The sample used was probabilistic and stratified bearing in mind the relative weight of each of the communities of the council, in the total universe of classic families of Oporto. For data collection we chose an approach “door to door”, using a form. The self-efficacy perception was assessed by means of a specific tool, built through the debate within the group of investigation and the proofreading of the literature. The work of Schumacher and collaborators (2000) - Family Caregiving Skill: Development of the Concept was the main reference source of its building. The outcoming results show us that the great majority of the family caregivers perceive themselves as "very competent", to take care of his/her dependent relative. Nevertheless, considering the average scores of self-efficacy perception, there are areas where the family caregivers perceive themselves less competent. In this case there are a few particular areas as to deal with the dependency of the relative to enhance, such as: " self turning", " self transferring ", " self toileting " and " taking medication". Considering the family caregiving processes, described by Schumacher and collaborators (2000), the family caregivers feel less competent as far as "accessing resources" is concerned. Despite the members of the family caregivers perceiving themselves very competent while performing the role, we have identified many indicators in the (sub)scales with low casuistry. It is very important that nurses help the family caregivers awareness to the role and cooperate in the building of the personal definition of taking care of the family member.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/16299
Aparece nas colecções:ICS(P) - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese final Carmen Queiros UCP.pdf7,31 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.