Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/15864
Título: Pilot study on the feasibility of replacing invasive heart pressure measurements with non-invasivemagnetic resonance elastography as a way to reduce rodent numbers in pre-clinical research
Autor: Silva, Neuza Filipa Botelho da
Orientador: Schneider, Jurgen
Maguire, Mahon
Data de Defesa: 7-Ago-2013
Resumo: Background: Imagem e Espectroscopia por Ressonância Magnética são técnicas fenotípicas que permitem a caracterização não-invasiva da função cardíaca em roedores. No entanto, ao avaliar a função miocárdica, as fases do ciclo cardíaco onde ocorrem as taxas máximas de geração de pressão e relaxamento não são directamente acessíveis com técnicas de imagem. Esta informação está apenas disponível recorrendo a cateterismo, sendo que se trata de um procedimento invasivo e terminal em roedores. A Elastografia por Ressonância Magnética mensura a deformação de um tecido após a estimulação mecânica e tem o potencial de aceder de forma não-invasiva à pressão ventricular in vivo, como foi demonstrado com sucesso em porcos e corações humanos. Este projecto tem como objectivo a construção de um sistema que permite a excitação mecânica no interior do magnete com a adequada amplitude e gama de frequência, necessárias para experiências murinas. Metodologia: Foi necessário o desenvolvimento do hardware de Elastografia necessário à estimulação mecânica de tecidos, compatível com o sistema existente de manipulação dos animais. Sequências de Ressonância Magnética foram ainda implementadas e equipadas com um gradiente de sensibilização de movimento por forma a codificar a deformação das ondas de cisalhamento. O sistema de Elastografia bem como as sequências formam testados em géis de agarose com uma gama de frequências até aos 1,5 kHz de vibração, essenciais para dimensões do coração de ratos. Posteriormente, um gel de dois compartimentos com diferentes concentrações de agarose foi excitado utilizando a configuração de Elastografia. Finalmente, um rato morto foi submetido a exames de Elastografia por Ressonância Magnética. Resultados: Houve uma clara e uniforme penetração das ondas de cisalhamento nas experiências com géis de agarose. Todos os espectros mostraram um padrão de deslocamento de fase em toda a amostra, o que correspondeu à propagação das vibrações mecânicas. O gel de 0,5% de agarose deformou mais do que o gel de 1%, resultando num comprimento de onda mais curto que o comprimento de onda encontrado no gel mais rígido. Os resultados também mostram maior atenuação das ondas no gel de 1%, quer a 500 Hz quer a 1000 Hz de frequência de vibração, quando comparado com a propagação de ondas no gel de 0,5%. Na amostra de dois compartimentos, observou-se que as ondas penetraram não-uniformemente os dois compartimentos. Houve uma melhor propagação das ondas no gel de 0,5% de agarose do que no gel de 2%, resultando num comprimento de onda mais curto no gel menos rígido. No gel com maior rigidez não foi observável uma onda inteira numa única imagem, enquanto que no gel mais soft são observados seis ciclos completos de vibração. Nas experiências com o rato, verificou-se uma forte distinção dos tecidos aquando da passagem das vibrações. Os tecidos deformaram-se em função da sua rigidez que se traduziu em diferentes variações de fase no fígado e no coração. Conclusões: Neste projecto foi concebível um sistema bem-sucedido de estimulação mecânica dos tecidos. Foi qualitativamente demonstrado que a aplicação de excitação mecânica por ondas de cisalhamento pode ser um método para codificar propriedades mecânicas de um objecto heterogéneo. Assim, este projecto representou um enorme passo no desenvolvimento de uma técnica capaz de fazer medições de pressão ventricular em ratos.
Background: Magnetic Resonance Imaging (MRI) and Spectroscopy (MRS) are phenotyping techniques that allow for a non-invasive characterization of cardiac function in rodents. However, when assessing myocardial function, the isovolumic phases of the cardiac cycle are not directly accessible to imaging techniques, yet this is where maximal rates of pressure generation and relaxation occur. This type of information is only available using LV catheterization, which in rodents is an invasive and terminal procedure, requiring new experimental groups every time-point. Magnetic Resonance Elastography (MRE) measures shear deformation following mechanical tissue stimulation and has the potential to non-invasively access ventricular pressure in vivo, as successfully demonstrated in pig and human hearts. Therefore, this project aims to build a setup, which allows for mechanical stimulations inside the magnet with the appropriate amplitude and frequency range required for murine experiments. Methodology: Core to this project was the development of the MRE hardware required for the mechanical tissue stimulation and compatible with the existing animal handling system. MRI sequences needed to be implemented to equip them with motion-sensitizing gradient to encode shear deformation. In order to validate the MRE setup and the MRI sequences, phantoms of different concentrations of agarose were excited over a wide range of frequencies. The frequencies ranged from hundreds of Hz up to 1.5 kHz. MRE experiments were subsequently performed on a two-compartment phantom with different concentrations of agarose. Finally, a dead mouse was subjected to MRE examinations. Results: There was a clear uniform penetration of shear waves in phantom experiments. All phantoms demonstrated a pattern of phase shifts across the sample, which corresponded to propagation of mechanical vibrations. The gel of 0.5% agarose deformed more than the 1% agarose gel, resulting in a wavelength shorter than the wavelength found in stiffer gel. The results also show higher attenuation of shear waves in 1% agarose gel, either at 500 Hz or 1000 Hz of vibration frequency, when compared with the propagation of waves in 0.5% agarose gel. In the two-compartment phantom, shear waves penetrated non-uniformly the phantom. There was a better propagation of waves in the 0.5% gel than in the 2% one, resulting in a shorter wavelength in the softer gel than the rigid one. In the gel with higher level of stiffness the wavelength exceeded the dimensions of the gel while in the softer gel were observed six complete vibration cycles. In the mouse experiments, there was a strong tissue distinction when vibrations passed through them. The tissues deformed depending on their rigidity which translated into different spins phase variations either in the liver or in the heart. Conclusions: A setup to provide tissue mechanical stimulation in a small bore pre-clinical MR system was successfully developed. It was qualitatively demonstrated that the application of shear wave mechanical excitation may be a method to encode mechanical properties of a heterogeneous object. Thus, this project represented a major step in the ability to develop a technique for indirect LV pressure measurements in mice.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/15864
Aparece nas colecções:ESB - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Master Thesis_NeuzaBotelho.pdf1,19 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.