Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/15834
Título: Comportamentos de saúde oral numa amostra de adolescentes de áreas rurais e urbanas
Autor: Teixeira, Patrícia Daniela de Figueiredo
Orientador: Leitão, Jorge
Veiga, Nélio Jorge
Data de Defesa: 17-Set-2012
Resumo: A saúde oral é, inquestionavelmente,um bem essencial para a qualidade e saúde geral do indivíduo. Actuar nos comportamentos dos indivíduos perante a saúde é o ponto de partida para diminuir a prevalência de cárie, quer em áreas rurais quer em áreas urbanas, minimizando as diferenças entre as zonas de residência. O objectivo deste estudo foi caracterizar os comportamentos de saúde oral numa amostra de adolescentes que residem em áreas rurais e urbanas, bem como determinar a prevalência de selantes e CPOD dos indivíduos. Métodos: Realizou-se um estudo piloto desenhado como estudo epidemiológico observacional transversal onde se avaliou uma amostra de crianças/adolescentes entre os 8 e 17 anos, a frequentarem escolas em áreas rurais e urbanas do distrito de Viseu e Guarda. Em cada escola foram avaliados o maior número possível de indivíduos, sendo 123 da escola básica de Aguiar da Beira (94 – área rural, 28 área urbana), 51 da escola do 1º ciclo de Abraveses (16 – área rural, 36 – área urbana), 50 na escola básico do Mundão (47 – área rural, 2 – área urbana) e 48 na escola básica de Silgueiros (36 – área rural, 12 área urbana). A recolha de dados foi efectuada através de um questionário auto-aplicado e respondido pelas crianças em sala de aula, este inquérito continha questões referentes a comportamentos de saúde oral, bem como estatuto sócio-económico. Todos os questionários distribuídos oram recolhidos, no entanto, muitos encarregados de educação recusaram a colaboração no estudo, especialmente em Silgueiros. Foi, também, efectuado exame intra-oral a cada indivíduo, associando a ficha do exame, ao respectivo inquérito, para determinar, posteriormente, a prevalência de cárie e selantes, bem como a integridade dos mesmos. Resultados: A maioria dos adolescentes menciona realizar higiene oral todos os dias (77,5%), sendo que 59,3% o faz duas vezes por dia, dos residentes de área rural 67,5% têm esse hábito vs 47,5% residentes em área urbana (p>0,05). Segundo o género, o sexo feminino apresenta maiores cuidados de higiene oral, 83,1% das raparigas procede à escovagem dentária todos os dias vs 72,1% dos rapazes (p<0,05, p=0,035), mas não coincidem com valores de CPOD inferiores ao sexo masculino, pelo contrário. Apenas 5,9% da amostra utiliza o fio dentario todos os dias, mas a grande maioria já teve consulta com o médico dentista,maioria no consultório privado, não existindo diferenças no acesso a esses cuidados entre áreas rurais e urbanas. A amostra refere ter uma dieta pouco cariogénica, apenas 4,0% consome alimentos açucarados todos os dias, e na sua maioria dão preferencia para os ingerir após ou entre as refeições, horas menos prejudiciais. Verificamos que a prevalência de selantes na amostra é de 53,1% e o índice de CPOD é de 1,42. Conclusões: Os comportamentos de saúde oral dos adolescentes encontram-se associados a condições sócio-demográficas, adoptando os estilos de vida, essencialmente, dos pais e/ou seio familiar. Uma parte importante das crianças tem por hábito ir ao médico dentista para consultas de rotina (40,6%) e uma percentagem significativa tem disfrutado do cheque dentista (45,6%). Pela amostra em questão não foi possível inferior que a prevalência de selantes é maior nas área urbanas, pois verificou-se que 46,8% dos indivíduos de zonas urbanas apresentam selantes, sendo um valor inferiorr às zonas rurais (55,4%), mas p>0,05 (p=0,299). Áreas rurais apresenta, neste estudo, maior número de indivíduos livres de cárie 22,8%, contra 20,8% de áreas urbanas, p=0,038. O índice de CPOD da amostra encontra-se num nível de baixa prevalência de cárie dentária, valores esses coincidentes com a actualidade do resto do país. Há que salientar as opiniões das crianças acerca da sua própria saúde oral, encontrando-se desfasadas da realizade, com valores de CPOD=0 apenas 1,8% pensa ter uma saúde oral muito boa e com CPOD>12 3,5% referem que a sua saúde oral é “muita boa”, p<0,05 (p=0,008).
Background: Oral health is, without any doubt, a precious and essencial part of general health and quality of life. Changing a child’s behaviour towards health is the starting point to reduce the prevalence of caries, in rural or urban areas, decreasing disparities in healthcare among residence areas. The aim of this study was to assess oral health behaviours among Portuguese adolescents from rural and urban communities, as well as the determination of the prevalence of dental caries and fissure sealants. Methods: A pilot-study designed as a epidemiological observational cross-sectional study was made in a sample of adolescents aged eight to seventeen years old, attending four public schools of the districts of Viseu and Guarda, Portugal. In Aguiar da Beira we observed 123 adolescents (94 – rural area, 28 urban area), 51 in Abraveses (16 rural area, 35 urban area), 50 at Mundao (47 – rural are, 2 urban area) and 48 in Silgueiros (36 – rural area, 12 urban area). We applied a questionnaire, in the classrooms, with questions about oral health behaviours and socio-demographic status. We received all questionaires we delivered. Intra-oral examination was performed in each adolescent and then the intra-oral exam file was associated with each questionnaire, in order to determinate the association with caries and fissure sealants prevalence, as well as the integrity of the fissure sealants observed. Results:The majority of adolescents practice oral hygiene habits at least once a day (77,5%), and 59,3% toothbrush twice a day. In rural areas, 63,5% toothbrush twice a day and in urban areas 47,5% (p>0,05). According to gender, females are more careful with their oral health, 83,1% females brush their teeth everyday while just 72,1% of boys, p>0,05 (p=0,035) brush everyday. Just 5,9% of adolescent floss daily, but the vast majority had gone to a dentist at least once in the private sector. There are no differences in the access to oral healthcare with a professional among rural and urban areas. The sample studied have poor sugar intake. Just 4,0% consume sugary foods everyday and the majority said that the intake of sugary foods was made during of after meal. The prevalence of fissure sealants was 53,1% and the DMFT index was 1,42. Conclusion: Adolescents´ behaviours are associated with socio-demographic conditions, and they tend to follow the lifestyles of their parents and other family relatives. The important part of adolescents have routine dental appointments (40,6%). Sealants’ prevalence are inferior in urban areas, 46,8% in urban areas and 55,4% in urban areas, p>0,05 (p=0,299). In this study, 22,8% of adolescents were caries free in rural areas against 20,8% in urban areas, p=0,038. DMFT index in this sample was at a low level of caries’ prevalence, values in conformity with the actual scene of the country. The opinion of adolescent about their own health were lagged from reality, with numbers of DMFT=0 just 1,8% refers that their oral health are “very good” and DMFT>12 3,5% think that have a “very good” oral health, p<0,05 (p=0,008)
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/15834
Aparece nas colecções:ICS(V) - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese de Mestrado-Patrícia Teixeira.pdf5,06 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.