Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/15603
Título: Compreender a polivalência em contexto organizacional : contributos da psicologia do trabalho
Autor: Magalhães, Raquel Maria Carvalho de Pinho Nascimento
Orientador: Fonseca, António
Oliveira, Eduardo
Data de Defesa: 7-Set-2012
Resumo: Nos dias que correm, encontramo-nos numa lógica claramente pós-taylorista, em que maioria das organizações recorre a uma estratégia de polivalência organizacional, onde a competitividade depende não só das novas tecnologias, mas principalmente das capacidades especificamente humanas (Kóvacs, 2005). A polivalência é definida como a multiplicação da habilidade humana através do conhecimento e da capacidade de interagir e executar um elevado número de funções (Balsamo, 2001). O presente estudo de caso centrou-se na compreensão das representações dos colaboradores e dos Gestores de Recursos Humanos quanto ao papel da polivalência desenvolvida numa organização. Para isso, constituiu-se um grupo de participantes, quatro Gestores de RH e cinco colaboradores de diferentes departamentos. As suas idades estão compreendidas entre os 27 e os 54 anos. Realizaram-se entrevistas semiestruturadas cujo guião foi construído a partir da observação participante decorrida ao longo do estágio curricular e das notas de campo recolhidas. O tratamento dos dados realizou-se através do software Nvivo 9, que permitiu identificar três categorias de primeira ordem: 1) Caraterísticas da Organização, 2) Relações com o contexto de trabalho e 3) Polivalência. Os resultados do estudo permitiram-nos perceber que todos os participantes consideram a implementação da polivalência uma ação positiva, quer para os colaboradores, quer para a organização. No entanto, é importante salientar que revelaram mais fatores de insatisfação no que concerne ao contexto de trabalho do que fatores de satisfação. Deste modo, podemos concluir que os colaboradores encaram a polivalência como uma atitude necessária que estão dispostos a adotar, enquanto os Gestores de RH consideram a polivalência como uma estratégia de desenvolvimento. Por fim, para futuras investigações seria pertinente estudar de que modo a polivalência influencia a saúde dos colaboradores, de forma a tentar avaliar o nível de cansaço sentido por estes, tendo sempre em consideração a ergonomia e a qualidade de vida fora do trabalho.
In these current times we clearly find ourselves in a post-taylorist logic, where most companies rely on an organizational polyvalence strategy. The competitivity depends not only on new technologies but mainly on human specific abilities (Kóvacs, 2005). Polyvalence is defined as the multiples of human specific capability through knowledge and ability to interact and perform in many functions (Balsamo, 2001). The following case study focuses on the comprehension of the role of polyvalence in an international organization by the employees and Human Resources managers. This is done through analysis of real work activity, taking into consideration work psychology. As a result of two groups of participants were formed, four Human Resources managers and five employees all from different departments. The participant’s ages went from 27 up to 54 years. Semi-structured interviews were used as the prefered data collecting method. The script for the interviews was created using the participant’s observations whilst on placement, as well as field notes. To analyze collected data, Nvivo9 software was applied. This allowed the identification of three categories of first order: 1) Organization characteristics, 2) Work context relations, 3) Polyvalence. The study results allowed us to understand that all participants consider the implementation of polyvalence a positive action not only for employees but also for the organization. However, it is important to mention, that the results revealed more insatisfaction factors than satisfaction factors. Therefore, we can conclude that employees view polyvalence as an attitude, something that they are willing to adopt, whilst Human Resources managers view it as a development strategy. For further investigations, it would be recommended to study how polyvalence influences employees’ life outside the organization, in a manner of trying to evaluate the level of exhaustion felt by employees, always into consideration ergonomics and the quality of life outside work.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/15603
Aparece nas colecções:FEP - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Raquel Magalhães - Dissertação de Mestrado.pdf4,1 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.