Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/15466
Título: Inteligência emocial dos profissionais de saúde da rede nacional de cuidados continuados integrados
Autor: Rebelo, Ângela Cristina de Jesus
Orientador: Martins, Rosa
Palavras-chave: Profissionais de Saúde
Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados
Funcionalidade Familiar
Inteligência Emocional
Health Professionals
National Network for Integrated Continuous Care
Family Functionality
Emotional Intelligence
Data de Defesa: 31-Out-2012
Resumo: Introdução: Ao longo dos últimos anos, diversos estudos têm demonstrado que o sentido das emoções na saúde tem vindo progressivamente a ser valorizado, bem como o reconhecimento de que, a Inteligência Emocional (IE) é a que melhor responde às exigências dos atuais sistemas de saúde. Objetivo: Avaliar a Inteligência Emocional dos profissionais de saúde da Rede Nacional dos Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) e verificar em que medida as variáveis sociodemográficas, profissionais e familiares têm efeito significativo nessa Inteligência. Metodologia: Trata-se de um estudo quantitativo, não experimental, transversal e numa lógica de análise descritivo-correlacional. A amostra é constituída por 106 profissionais de saúde a exercerem a sua atividade profissional em unidades de internamento da RNCCI na região centro do País. O instrumento de colheita de dados agrega um questionário de caracterização sociodemográfica, um de caracterização profissional, a Escala de Apgar Familiar e por último, o Questionário de Competência Emocional (QCE). Para o tratamento estatístico foi utilizado o programa SPSS versão 19. Resultados: A amostra é maioritariamente feminina, casada, com uma média de idades de 34,13 anos. As classes profissionais mais representadas são a médica, a de enfermagem e de fisioterapia. Os dados obtidos revelam associações significativas entre a Inteligência Emocional e a profissão, o grau académico, a formação e a funcionalidade familiar. As restantes variáveis em estudo não influenciam a IE da nossa amostra. Como variáveis preditivas de IE aferimos o número de elementos do agregado familiar e a funcionalidade familiar, sendo esta última a que apresenta maior peso preditivo. Conclusão: Perante tais evidências, torna-se claro que, os profissionais de saúde devem apostar no desenvolvimento das habilitações académicas e a RNCCI fomentar a formação dos seus cuidadores formais. Para além disso, a funcionalidade familiar dos profissionais do cuidar deve ser estimulada com vista à prestação de cuidados emocionalmente inteligentes que contribuam para a humanização dos cuidados de saúde.
Introduction: Over the past few years, several studies have shown that the sense of emotions in health has been progressively enhanced, and that the Emotional Intelligence (EI) is the one that best meets the demands of today's healthcare systems. Aim: Assess the Emotional Intelligence of health professionals of the National Network for Integrated Continuous Care (NNICC) and verify the extent to which socio demographic, family and professional variables have significant effects on that Intelligence. Methodology: This is a quantitative, non-experimental, transverse study in a descriptive and correlational logic of analysis. The sample consists of 106 health professionals who work in internment units NNICC in the center of the country. The instrument for data collection adds a sociodemographic questionnaire, a professional characterization questionnaire, the Family Apgar Scale and finally the Emotional Competence Questionnaire (ECQ). For the statistical analysis we used SPSS version 19. Results: The sample is mostly female, married with an age average of 34.13 years. The most represented professional categories are the medical, nursing and physiotherapy. Data collected Data showed significant associations between emotional intelligence and the profession, the academic degree, training and family functionality. The other study variables did not influence EI in our sample. As predictive variables of EI we assessed the number of members of the household and family functionality, the latter being the one with the greatest predictive weight. Conclusion: Given this evidence, it is clear that health professionals should focus on upgrading academic qualifications and the NNICC should promote the training of their formal caregivers. Furthermore, the familiar functionality of health professionals should be encouraged in order to make them provide emotionally intelligent care contributing to the humanization of the health care.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/15466
Aparece nas colecções:DEGS - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Inteligência Emocional nos Profissionais de Saúde da Rede Na.pdf4,43 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.