Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/15465
Título: Teach : supervisão pedagógica : um alicerce para a construção do saber
Autor: Pereira, Cheila Isabel Ferreira Nunes e Sá
Orientador: Ribeiro, Célia dos Prazeres
Palavras-chave: Supervisão Pedagógica
Formadores
Estagiários
Professores
Reflexão
Escola
Pedagogical Supervision
Supervisors
Trainees
Teachers
Reflection
School
Data de Defesa: 20-Jul-2012
Resumo: Este relatório incide na área da supervisão pedagógica, como um alicerce para a construção do saber. Muito se tem falado sobre o sucesso e insucesso dos alunos portugueses, onde os resultados persistem em não ser favoráveis, continuando Portugal a estar na cauda dos resultados menos positivos, a nível dos países da União Europeia. Se para além de vermos as árvores, considerarmos a floresta, verificamos que todo o processo de ensino dos nossos alunos pressupõe o trabalho de muitos e engloba vários fatores. Para ensinar a ensinar é preciso aprender a ensinar e também ao ensinar aprende-se. Todo este processo terá que ter como suporte a supervisão. A literatura consultada sobre a temática da supervisão pedagógica apresenta as várias definições de supervisão, bem como ao contexto histórico sobre o seu aparecimento, dos vários modelos, cenários, estilos e abordagens. A supervisão pedagógica, ao contrário do que se possa pensar, não está somente relacionada com a formação inicial dos futuros professores, mas também com a formação contínua, necessária para a evolução permanente de um profissional aprendente, que é o professor. A formação de professores, seja inicial ou contínua, é realizada tendo como princípio a legislação, pois tudo tem que ser seguido segundo os trâmites do Ministério da Educação. Trata-se de um processo de apoio à formação, sendo esta encarada como uma aprendizagem profissional, que envolve pessoas, cada uma delas com as suas funções. A formação deve ser feita num ambiente de ação-reflexão, envolvendo meios como a observação, o planeamento de atividades, a comunicação e a avaliação. Em todo o processo supervisivo, promove-se a aprendizagem e o desenvolvimento humano e profissional. O objeto essencial da supervisão é a qualidade da formação e do ensino que se pratica ou praticará, não somente em contexto de sala de aula, mas abrangendo também a escola, como um desenvolvimento da qualidade organizacional e profissional dos que nela trabalham, através de uma aprendizagem que pode ser individual, mas num contexto coletivo. Através de uma estrutura ou base, utilizando um determinado modelo, cenário, estilo ou abordagem, implementa-se a supervisão. Como “janelas” para se poderem ver as conceções e não como “muros” que bloqueiam a visão e impedem o processo de aprendizagem, vendo a supervisão num contexto mais abrangente – a supervisão da escola e a supervisão da formação contínua. Todo o ambiente em que se desenrola a supervisão é essencial, promovendo boas relações entre pares e as instituições, ou seja, boas “transições ecológicas”, onde a relação de empatia é meio caminho andado para o êxito. A supervisão deverá constituir práticas críticas e autocríticas, existindo um compromisso ideológico de uma visão de educação e desenvolvimento profissional, como processos de transformação e emancipação, ao nível institucional, cultural e social. Para se ser supervisor ter-se-á que ter uma visão do que é o ensino, orientando os formandos para a construção de uma sociedade democrática. Ser professor é ser profissional com compromisso social, moral e científico, tendo que ter conhecimentos científicos de base e competências de índole educacional, refletindo constantemente sobre os seus atos e resultados obtidos, ou seja, sendo um professor reflexivo, numa escola reflexiva.
This report covers the area of pedagogical supervision, as a foundation for the construction of knowledge. Much has been said about the success and failure of Portuguese students, where the results persisted in being unfavorable, as Portugal continues to be on the tail of the less positive results, at the EU countries level. If we look beyond the trees, and consider the forest, we find that the whole process of our student’s education requires the work of many and involves several factors. To teach how to teach it is necessary to learn to teach and also as we teach we learn. This whole process needs to be supported by supervision. The literature on the subject of pedagogical supervision presents the various definitions of supervision, as well as the historical context of its appearance, the several models, scenes, styles and approaches. The pedagogical supervision, contrary to what one might think, is not only related to the initial formation of future teachers, but also with the ongoing formation, necessary for the constant development of a professional learner, such as the teacher. Teacher formation, either initial or ongoing, is performed based on the legislation principles, because everything has to be followed according to the procedures of the Ministry of Education. It is a process to support formation, being this seen as professional apprenticeship, which involves people, each with their functions. Formation should be done in an action-reflection environment, involving means such as observation, activities planning, communication and evaluation. Throughout the supervisory process, learning and human and professional development are promoted. The essential object of supervision is the quality of the formation and of the education practiced or that will be practiced, not only in the classroom context, but also covering the school, as a development for organizational and professional quality of school collaborators, through a learning that can be individual, but in a collective context. Through a structure or base, using a particular model, scenario, style or approach, supervision is implemented. As “windows” to be able to see the conceptions and not as “walls” that block the view and prevent the learning process, seeing the supervision in a broader context - school supervision and ongoing formation supervision. The whole environment in which supervision takes place is essential, promoting good relations between colleagues and institutions, ie, good “ecological transitions”, where empathy relationship is half way to achieved success. Supervision should be self-critical and critical practices, where there is an ideological commitment to a vision of education and professional development, as processes of transformation and emancipation, at the institutional, cultural and social levels. To be a supervisor one has to have a vision of what teaching is, guiding the students to building a democratic society. Being a teacher is to be a professional with social, moral and scientific commitment, having base scientific knowledge and educational nature skills, constantly reflecting on actions and results, ie, being a reflective teacher, in a reflexive school.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/15465
Aparece nas colecções:DEGS - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
relatório reflexivo_01.2012formatacaoFinal.pdf1,29 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.