Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/15348
Título: Implicações da respiração oral no crescimento da face
Autor: Fonseca, Rodolfo Ronda
Orientador: Alves, Armindo
Palavras-chave: respiração oral
prevalência
biótipo facial
altura facial inferior
hábitos orais
oral/mouth breathing
prevalence
facial biotype
lower facial height
oral habits
Data de Defesa: 30-Jul-2014
Resumo: Introdução: a respiração oral é um distúrbio respiratório bastante comum e um problema de saúde pública, pois provoca alterações e desequilíbrios a nível dentário, muscular e ósseo modificando, assim, o crescimento e desenvolvimento facial de cada indivíduo. Objetivos: determinar a prevalência de crianças e adolescentes com respiração nasal, oral e mista; determinar a sua predisposição para um determinado biótipo facial (altura facial inferior); aferir a relação do padrão de respiração com a altura facial inferior (crescimento da face) e relacionar estes com os seus hábitos orais e problemas respiratórios. Metodologia: realizou-se um estudo observacional transversal, tendo sido observadas crianças e adolescentes com idades compreendidas entre os 6 e os 16 anos, de ambos os sexos. Foi realizado um questionário, com o intuito de obter informações acerca dos seus hábitos orais e problemas respiratórios, bem como os testes do espelho, água e selamento labial para averiguar o padrão de respiração e a cefalometria direta, com uma craveira digital, para determinar a altura facial inferior. A análise estatística dos dados foi efetuada através do programa SPSS® v.21.0.0.0, com o nível de significância de 5%. Resultados: foi solicitada a participação de 618 crianças e adolescentes, sendo que apenas 248 foram incluídos no estudo, uma vez que 69 não cumpriram os critérios de inclusão e 301 pais não autorizaram a participação. A média de idades foi de 10,05 anos, sendo 52,8% do sexo masculino. Da amostra em estudo, 40,3% apresentava um padrão de respiração mista, não tendo sido encontrada nenhuma criança/adolescente com respiração exclusivamente oral e 40,7% dos participantes tinham o terço inferior/altura facial inferior aumentada. O hábito oral mais prevalente foi o uso de biberão (83,9%); a prevalência de alergias foi de 29,0% e de patologias respiratórias foi de 16,1%. Conclusão: foi estabelecida uma associação estatisticamente significativa entre o padrão de respiração e a altura facial inferior, na medida em que 78,0% das crianças e adolescentes com respiração oral apresentavam uma altura facial inferior aumentada; não se observou associação entre padrão de respiração e altura facial inferior com o sexo e idade e foi estabelecida uma associação entre o padrão de respiração e altura facial inferior com a manutenção da boca aberta e os hábitos de “ressonar”, “dormir com a boca aberta” e “babar durante a noite”.
Introduction: mouth breathing is a common breathing disorder and a public health problem as it induces changes and instability at dental, muscle and bone levels, modifying the facial growth and development of each individual. Objectives: determine the prevalence of children and teenagers with nasal, oral and mixed breathing; determine their predisposition to a particular facial biotype (lower facial height); verify the relationship of breathing pattern with lower facial height (facial growth) and establish an association between these and oral habits and respiratory problems. Methodology: a cross observational study was made to observe children and teenagers aged 6 to 16 years old of both sexes. In this study, it has been performed an enquiry to gather information about oral habits and respiratory problems, as well as the tests of mirror, water and lip seal to verify the breathing pattern and, finally, the direct cephalometry with a digital caliper to determine the lower facial height. Statistical data analysis was accomplished using SPSS® v.21.0.0.0 software, with a significance level of 5%. Results: it has been requested the participation of 618 children and teenagers and only 248 were included in the study, since 69 didn’t fill the inclusion criteria and 301 parents didn’t authorized. The mean age was 10,05 years, being 52,8% male. From the sample in study, 40,3% had a mixed pattern of breathing, as any children/teenager have been found with an exclusive oral breathing; 40,7% of participants showed an increased lower third/lower facial height. The most prevalent oral habit was the baby bottle/feeder use (83,9%); the prevalence of allergies was 29,0% and 16,1% of respiratory disorders. Conclusion: it was established an association between breathing pattern and lower facial height, since 78% of oral breathers had an increased lower facial height; no association between breathing pattern and lower facial height with sex and age was observed; it was established an association between breathing pattern and lower facial height with the “maintenance of open mouth” and habits of "snoring", "sleeping with the mouth open" and "drooling over night."
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/15348
Aparece nas colecções:ICS(V) - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Monografia Rodolfo Fonseca, Viseu 2014 - Implicações da Respiração Oral no Crescimento da Face.pdf1,6 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.