Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/15313
Título: Os jovens e a ética da sexualidade : contributos para um programa
Autor: Ribeiro, Teresa Tomé
Orientador: Renaud, Maria Isabel Carmelo Rosa
Veiga, Maria Elisa Pina Tomaz
Data de Defesa: 2014
Resumo: A compreensão dos jovens sobre a sexualidade e a forma como a integram no seu percurso de vida expressa-se pelos comportamentos que escolhem, os quais poderão vir a ter repercussões positivas ou negativas num futuro próximo. Torna-se assim importante que os programas de educação para a sexualidade possibilitem aos jovens tomadas de decisão esclarecidas e em liberdade. A Bioética surge como o lugar da reflexão ética no cruzamento das duas perspectivas de intervenção: a da saúde e a da educação. Na reflexão feita sobre os resultados duma intervenção anterior em escolas, identificaram-se referenciais para a construção de um modelo teórico de educação para a sexualidade intitulado DIP3 (Desenvolvimento Integral da Pessoa em 3 dimensões: biológica, psicoafectiva e projecto de vida) que desenvolvemos e apresentamos. O objectivo deste trabalho foi compreender se o Modelo DIP3, no contexto das escolas públicas, se apresenta como um referencial para a educação para a sexualidade pelos seus actores, respondendo às necessidades existentes e se contribui para a construção de um conceito de sexualidade que leve a uma reflexão ética abrangente por parte dos professores e por parte dos alunos. Neste sentido foi elaborada a presente investigação enquadrada nas metodologias qualitativas, do tipo investigação-acção, composta por 3 etapas: primeira etapa, diagnóstica, de levantamento das necessidades, identificação dos problemas e auscultação das opiniões na área da educação sexual de 154 professores do 1.º, 2.º, 3.º Ciclo Ensino Básico e Secundário de escolas públicas de Braga, Porto e Lisboa; segunda etapa, constituída por uma formação aos professores sobre o modelo teórico, onde se estruturaram e implementaram programas de educação para a sexualidade, no ano lectivo de 2009/2010, procedendo em simultâneo à sua avaliação; terceira etapa, avaliação de todo o processo de implementação, reflexão com os professores e reestruturação dos programas em cada escola com divulgação à comunidade educativa. No início do estudo a maioria dos professores apresentaram atitudes positivas para com a existência de programas de educação sexual nas escolas, mas afirmavam não ser possível implementa-los por falta de espaço curricular, pelas diferenças entre alunos e famílias e por falta de formação específica dos professores; nos conteúdos sugeridos valorizavam fundamentalmente a componente médico-preventiva; afirmaram que o modelo teórico proposto não era passível de implementação por serem diferentes os valores e os conceitos dos alunos, professores e famílias. No final da intervenção apresentaram consensos para elaboração dos programas; estruturaram programas adaptados às escolas; operacionalizaram-nos duma forma homogénea nas várias escolas; tiveram da comunidade educativa uma boa aceitação, obtendo a aprovação dos pais/encarregados de educação e o envolvimento da família nas actividades dos programas; consideraram que a educação para a sexualidade tem interesse se assentar num modelo bioético como o DIP3. Os professores referiram que o percurso feito com os alunos teve impacto pessoal e profissional. O modelo DIP3 foi percepcionado pelos professores como um modelo teórico que leva à construção de programas para a sexualidade adaptados às escolas, aos alunos, aos professores, aos pais/educadores, independentemente da formação de base dos professores e do ambiente socioeconomico e cultural dos alunos e familias. Apresentamos este modelo como um novo paradigma de educação para a sexualidade possibilitando, ao longo do processo de construção da Pessoa, uma reflexão sobre todos as dimensões que a integram, sobre si, sobre o outro e, a sua relação com o outro, perspectivando-se num futuro com sentido humanizante.
The understanding about sexuality and how to integrate it into their life course is expressed in young people through the behaviors they choose, which may have positive or negative repercussions in the near future. It is therefore important to seek education programs for sexuality that enable young people to make conscious and appropriate decisions. Bioethics emerged as the place of ethical reflection on the intersection of two perspectives for action: health and education. Studying the results of a previous intervention in schools, benchmarks were identified for the construction of a theoretical model of education for sexuality titled DIP3 (Integral Development of the Person in 3 dimensions: biologic, psycho-affective and life project) that we developed. Goal: Understand the suitability of the model DIP3 as an ethical framework in planning and applying sex education programs by teachers in the school context A research work was made in the academic year 2009/2010 with 154 teachers from basic public schools (1st, 2nd and 3rd cicles) in Braga, Porto and Lisbon. This study used qualitative methodologies and is (of type action research) an action research type of investigation. It consists of three stages: the first stage is diagnosis, with two diagnostic studies, one being the elaboration of a training project on sexuality education for teachers and the other the needs and problems assessment) in the area of sex education, made by the teachers. The studies were interrelated and were sequential; the second stage, intervention, consisting in training teachers on the theoretical model, with implementation of education programs for sexuality, proceeding simultaneously to their evaluation; third step, evaluation of the entire implementation process, reflection with teachers and restructuring programs in each school with disclosure to the educational community. At baseline the majority of teachers had positive attitudes towards the existence of sex education programs in schools, but claimed to be unable to implement them due to lack of curriculum space, differences between students and families and lack of trained teachers; they valued primarily medical-preventive component; they said the proposed theoretical model was not likely to be implemented by differences in values and concepts on students, teachers and families. At the end of the intervention teachers showed consensus for program design; structured programs tailored to schools; operationalized the programs in an uniform way at several different schools; there was a good acceptance in the educational community, obtaining approval from parents/caregivers and achieving family involvement in the program activities; they felt that sexuality education has interest if based on a bioethics model as DIP3. Teachers reported that the route taken with students impacted them personally and professionally. The model DIP3 was perceived by teachers as a theoretical model that leads to the construction of programs for sexuality adapted to schools, students, teachers, parents/caregivers, regardless of the basic training of teachers and the socioeconomic and cultural environment students and families might have. We present this model as a new paradigm of education for sexuality that enables a reflection, throughout the process of building the Individual, on all the dimensions that comprise it: the self, the others and their relationship with each other, looking ahead to a humanizing direction.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/15313
Aparece nas colecções:GIB - Teses de Doutoramento / Doctoral Theses
R - Teses de Doutoramento / Doctoral Theses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese Teresa Tomé Ribeiro.pdf4,46 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.