Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/15215
Título: Clima, prazer e sofrimento no trabalho numa empresa industrial do sector automóvel
Autor: Gomes, Isaura de Fátima Arantes
Orientador: Araújo, Maria de Fátima Rodrigues Leitão Lobo de
Palavras-chave: Clima
Prazer
Sofrimento
Trabalho
Climate
Pleasure
Suffering
Work
Data de Defesa: 31-Jan-2014
Resumo: Given the current climate of increasing complexity and organizational change, erstanding of organizational commitment has become paramount in human resource management, along with the performance of the work of psychologists and organizations with its interdisciplinary approach, which has been widespread and worked in organizations as an innovative trend and humanized. Thus, this research is a quantitative, investigates the organizational climate and the pleasure-pain at work in the automotive sector. The climate is the result of organizational characteristics includes values such as culture, norms, practices and customs. The pleasure-pain is a result of the confrontation of employees with certain contexts and work is also supported by the approach of psychodynamic work. The main objective is to analyze the relationship between organizational climate and the pleasure-pain at work, employees of Gestamp Aveiro. In this sense, was taken in a random sample of 79 subjects, 58 (73.4%) males and 21 (26.6%) were female, with an average age close to 36 years, these being between the 21 and 58 years. Regarding the methodology, we applied a questionnaire that included a dichotomous scale that measures the social climate at work, produced by Lobo and Fernandez (2001) and a Likert scale of pleasure-pain at work, proposed by Mendes (1999). To treat the data we used the statistical program, Statistical Packpage for Social Sciences - SPSS 20.0 for Windows. The results confirm the existence of a relationship between organizational climate and the pleasure-pain at work. The organizational climate subscales are positive and significant in the analysis of the Spearman correlation coefficient in relation to the dimensions of pleasure-pain, however, these results reveal negative and significant in relation to climate, through Pearson correlation test .The subscale climate that is most evident is the support, and the predictors of subscale: are the dimensions of insecurity and tear of pleasure-pain scale. The insecurity is the dimension that is evident on the scale of pleasure-pain, being its predictive the subscale support. The results obtained are conditioned by the number of subjects in the sample.
Perante a conjuntura actual, de crescente complexidade e mutação organizacional, a compreensão do comprometimento organizacional tem-se tornado primordial na gestão de recursos humanos, juntamente, com a actuação do psicólogo do trabalho e das organizações com a sua interdisciplinaridade, a qual vem sendo difundida e trabalhada nas organizações como uma tendência inovadora e humanizada. Deste modo, a presente investigação é de carácter quantitativo, investiga o clima organizacional e o prazer-sofrimento no trabalho no sector automóvel. O clima resulta de características organizacionais que compreendem valores como cultura, normas, práticas e costumes. O prazer-sofrimento é resultante do confronto dos colaboradores com determinados contextos de trabalho e é também sustentado pela abordagem da psicodinâmica do trabalho. O principal objectivo é analisar a relação entre o clima organizacional e o prazer-sofrimento no trabalho, dos colaboradores da Gestamp Aveiro. Neste sentido, foi recolhida uma amostra aleatória de 79 sujeitos, 58 (73,4%) do sexo masculino e 21 (26,6%) do sexo feminino, com uma média de idades próxima dos 36 anos, sendo estas compreendidas entre os 21 e os 58 anos. No que concerne à metodologia, foi aplicado um questionário que compreendia uma escala dicotómica que mede o clima social no trabalho, elaborado por Lobo e Fernández (2001) e uma escala tipo Likert sobre prazer-sofrimento no trabalho, proposto por Mendes (1999). Para o tratamento dos dados foi utilizado o programa estatístico, Statistical Packpage for the Social Sciences – SPSS 20.0 for Windows. Os resultados obtidos confirmam a existência de uma relação entre o clima organizacional e o prazer-sofrimento no trabalho. As subescalas do clima organizacional apresentam resultados positivos e significativos, na análise do coeficiente de correlação de Spearman, em relação às dimensões do prazer-sofrimento, porém, estas revelam resultados negativos e significativos, em relação ao clima, através do teste de correlação de Pearson. A subescala do clima que mais se evidencia é o apoio, sendo que as variáveis preditoras da subescala: são as dimensões insegurança e desgaste da escala prazer-sofrimento. A dimensão insegurança é a que mais se evidencia na escala do prazer-sofrimento, sendo a sua preditora a subescala apoio. Os resultados obtidos estão condicionados pelo número de sujeitos da amostra.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/15215
Aparece nas colecções:FF - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Completa.pdf1,06 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.