Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/15200
Título: Teriam os reis de Portugal verdadeira jurisdição eclesiástica?
Autor: Leite, António
Data: 1985
Editora: Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa
Citação: LEITE, António - Teriam os reis de Portugal verdadeira jurisdição eclesiástica?. Didaskalia. Lisboa. ISSN 0253-1674. 15:2 (1985) 357-367.
Resumo: À medida que, a partir das Astúrias, progrediu para o Sul a reconquista da Península Ibérica, foram-se restaurando quase todas as antigas sés espicopais, que passaram a ser providas de Bispos, praticamente sem intervenção de Roma.
Algumas das terras reconquistadas foram doadas às Ordens militares, em recompensa pelos seus bons serviços. Essas ordens possuíam nelas também jusridição eclesiástica, dando assim origem a isentos «nullius dioecesis». Não surgiram, pois, problemas relativos à jurisdição espiritual sobre as terras reconquistadas.
O problema só veio a pôr-se quando os portugueses começaram a sua expansão ultramarina, iniciada com a conquista de Ceuta em 1415.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/15200
ISSN: 0253-1674
Aparece nas colecções:RD - 1985 - Vol. 015 - Fasc. 2

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
V01502-357-367.pdf399,73 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.