Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/15189
Título: Abrir Espaço à Saúde Mental : estudo do impacto da intervenção em alunos do 8º ano de escolaridade
Autor: Assunção, Ana Filipa Pereira
Orientador: Campos, Luísa
Palavras-chave: Saúde Mental
Promoção da Saúde Mental
Juventude
Estigma
Literacia em Saúde Mental
Intervenção em Contexto Escolar
Mental Health
Mental Health Promotion
Adolescence
Youth
Stigma
Mental Health Literacy
School-based intervention
Data de Defesa: 24-Jul-2014
Resumo: Sabendo-se que cerca de um em cada cinco jovens irá experienciar uma perturbação mental (Stuart, 2006), e que a juventude constitui-se como uma etapa, na qual, as atitudes são maleáveis e, por conseguinte, mais facilmente modificáveis, torna-se importante desenvolver intervenções de promoção de saúde mental junto dos adolescentes, preferencialmente no contexto onde passam a maioria dos seus dias - as escolas (Corrigan & Watson, 2002; Farrer, Leach, Griffiths, Christensen & Jorm, 2008; Puolakka, Kiikkala, Haapasalo-Pesu & Paavilainen, 2011). O presente estudo insere-se no projeto “Abrir Espaço à Saúde Mental – Promoção da saúde mental em adolescentes: desenvolvimento e avaliação de uma intervenção”, tendo como objetivo geral: avaliar o impacto de uma intervenção centrada na promoção da saúde mental em jovens do 8º ano de escolaridade. No estudo participaram 214 estudantes provenientes de cinco escolas do Norte de Portugal com idades compreendidas entre os 12 e os 15 anos. Com o objetivo de avaliar o impacto da intervenção foram obtidos dois grupos aleatoriamente - grupo experimental (N=101) e grupo de controlo (N=113). A recolha de dados foi realizada através do questionário de Literacia em Saúde Mental - LSMq (Campos, Palha, Dias, Veiga & Duarte, 2012), aplicado aos participantes, de ambos os grupos, uma semana antes e após a implementação da intervenção. A intervenção foi constituída por duas sessões, com um intervalo de uma semana, tendo esta sido desenvolvida apenas no grupo experimental. Os principais resultados obtidos apontam para um impacto positivo da intervenção, nomeadamente ao nível do aumento dos conhecimentos sobre problemas de saúde mental e da redução de estereótipos, bem como o aumento de conhecimentos sobre estratégias de auto-ajuda e dos scores relativos às intenções comportamentais.Do exposto, reforça-se a importância de se realizarem mais estudos em Portugal centrados na promoção da literacia em saúde mental, de forma a se conscientizar não só os jovens, como também outras faixas etárias sobre a existência, cada vez mais frequente, de problemas de saúde mental, com vista à prevenção destes problemas, bem como à procura de ajuda o mais precocemente possível.
One in five young people will experience a mental disorder (Stuart, 2006). Knowing that youth is constituted as a stage in which attitudes are malleable and therefore more easily modifiable, it is important to develop up interventions to promote mental health among adolescents, preferably in the context where they spend most of their days – schools (Corrigan & Watson, 2002; Farrer, Leach, Griffiths, Christensen & Jorm, 2008; Puolakka, Kiikkala, Haapasalo-Pesu & Paavilainen, 2011). This study is part of the project “Abrir Espaço à Saúde Mental – Promoção da saúde mental em adolescentes (12-14): desenvolvimento e avaliação de uma intervenção” and its aim is to assess the impact of a school-based intervention on mental health promotion among eighth-grade students. The study involved 214 students from five schools in the North of Portugal with ages between 12 and 15 years old. In order to check the effectiveness of the intervention, the students were randomized in two groups - experimental group (N=101) and control group (N=113). Data collection was conducted through a questionnaire on Mental Health Literacy - LSMq (Campos, Palha, Dias, Veiga & Duarte, 2012), applied to the participants of both groups one week before and after the implementation of the intervention. The intervention consisted of two sessions with an interval of one week, developed only in the experimental group. The main results show a positive impact of the intervention, particularly the increased knowledge about mental health and self-help strategies, reducing stereotyping and increased scores on first aid skills. Having this results into account, it is even more emphasized the importance of carrying out further studies in Portugal focused on these issues in order to aware not only young people, but also other age groups about the increasingly frequent existence of mental health problems, thereby in order to prevent these problems and looking for help as early as possible.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/15189
Aparece nas colecções:FEP - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação_FilipaAssunção_Final_08.07.2014.pdf2,23 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.