Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/15091
Título: A Contra-urbanização
Outros títulos: paisagem e humanidade
Autor: Duque, Eduardo
Calheiros, António
Palavras-chave: Cidades
Campos
Territórios
Contra-urbanização
Industrialização
Metamorfose das cidades
Desenvolvimento sustentável
Counter-urbanization
Industrialization
Metamorphosis of cities
Sustainable development
Data: 2012
Editora: Associação Portuguesa de Sociologia
Resumo: A contraurbanização é hoje uma realidade incontornável, prolixa e caracterizada por dinâmicas estruturantes de dimensão diversa. Este fenómeno, designado na linguagem anglosaxónica por population turnaround, consiste no declínio demográfico e industrial das áreas urbanas centrais em detrimento da revitalização populacional e industrial de espaços rurais do mundo desenvolvido. Por isso mesmo, como acabamos de afirmar, trata-se de um fenómeno prolixo, não generalizado, que coincide com o declínio das cidades industriais e define um novo marco de urbanização do espaço rural e/ou crescimento das periferias, contrariando os processos de urbanização e reurbanização, que transformaram as cidades em pólos aglutinadores de recursos. Surge como uma reacção à degradação física e social das cidades centrais, potenciada pelo rápido desenvolvimento tecnológico, com incidências directas ao nível das vias de comunicação, e o declínio das indústrias tradicionais, factores geradores de uma urbanização dispersa e difusa. Por isso, contrariamente à suburbanização, a contraurbanização marca uma ruptura simbólica com a cidade, iniciando-se com ela uma nova fase de produção do espaço e de relações. Assume particular relevância no contexto actual, onde se sente cada vez mais a necessidade de um desenvolvimento local que se quer homogéneo, integrado e sustentável. Neste sentido, porque tem a particularidade de descongestionar as cidades e revitalizar os espaços rurais, a contraurbanização afigura-se como um factor que pode contribuir para o desenvolvimento equilibrado das regiões e, por isso mesmo, passível de ser planificado. Decidimos abordar esta temática a partir de uma metodologia tripartida: noção e enquadramento histórico do fenómeno da contraurbanização; a cidade e as suas metamorfoses ao longo do tempo e, por último, os fundamentos teóricos da contraurbanização.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/15091
ISBN: 978-989-97981-0-6
Aparece nas colecções:FCS - Artigos em actas / Papers in proceedings

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
A contraurbanização, paisagem e humanidade.pdf459,19 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.