Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/14779
Título: Caracterização do voluntariado em cuidados paliativos em Portugal
Autor: Vitorino, Adriana Isabel Mota
Palavras-chave: Cuidados Paliativos
Trabalhadores voluntários
recursos humanos
características da população
Palliative Care
Voluntary Workers
Human Resources
Population Characteristics
Data de Defesa: 2-Abr-2014
Resumo: Introdução: Na europa as recomendações para o voluntariado em cuidados paliativos vão além da importância da inclusão de voluntários nas equipas. São definidos número de voluntários por habitante, requisitos importantes como a formação específica na área, a existência de coordenadores e de espaços de reflexão/acompanhamento. Em Portugal sabe-se que existe voluntariado nesta área, contudo, face a estas recomendações, importa conhecer esta realidade. Objetivo: Para analisar o voluntariado em cuidados paliativos em Portugal, definimos três objetivos - conhecer a cobertura do voluntariado, conhecer o perfil dos voluntários e descrever a organização do voluntariado ao nível de critérios de seleção, formação específica na área, coordenação e acompanhamento. Metodologia: é um estudo descritivo quantitativo. Na colheita de dados foram aplicados dois questionários, nomeadamente aos voluntários e aos responsáveis pelas equipas de cuidados paliativos. Resultados: das equipas de cuidados paliativos em Portugal, 51,9% têm voluntários; destes, 81,8% são mulheres, com uma média de idade de 51 anos, 54,6% são casados, 36,4% têm o ensino secundário e 40,9% são reformados. No que concerne à organização do voluntariado há a salientar: · 57,1% das equipas utilizam como critério de seleção a formação específica e as características pessoais de personalidade · 77,8% dos voluntários têm formação específica; · 100% das equipas têm um coordenador dos voluntários;· 66,7%, dos voluntários têm reuniões de acompanhamento Conclusões: O número de voluntários por habitante fica aquém das recomendações da EAPC. O perfil dos voluntários do estudo é globalmente idêntico, a nível nacional, a voluntários de IPSS e de oncologia, com exceção da profissão, e a nível europeu na área dos cuidados paliativos, no que se refere a género e idade. As práticas de organização do voluntariado parecem ser variadas. A existência de um coordenador é, no entanto, constante em todas as equipas
Introduction: In Europe the recommendation for voluntary work in palliative care goes beyond the importance of including volunteer on teams. They defined the numbers of volunteers per capita, important requirements such as specific training in the area, the existence of coordinators and spaces for reflection / monitoring. In Portugal it´s known the existence of voluntary work in palliative care, nevertheless in face of the given recommendation we should consider this reality. Objective: To analyze volunteering in palliative care of Portugal, were defined three objectives - to know the voluntary coverage, to know the profile of volunteers and describe how volunteering is organized in terms of selection criteria, specific training in palliative care, coordination and monitoring. Methodology: A descriptive study with a quantitative approach, with data collection through two models of questionnaires – one for the volunteers, and another for responsible of each palliative care teams. Results: 51.9 % palliative care teams in Portugal have volunteers; these, 81.8 % are women with average age 51, 54.6 % are married, 36.4 % have secondary education and 40.9 % are retired. Concerning the organization of volunteering must note that: 57.1 % of the teams use as selection criteria specific training and personal characteristics of personality 77.8 % of the volunteers have specific training; 100 % of the teams have a volunteer coordinator; 66.7 % of the volunteers are having had follow-up meetings.Conclusions: The number of volunteers per capita are still below the EAPC recommendations. The profile of the study volunteers is in generally identical to the national level of the IPSS and oncology volunteers, except for occupation and other European realities in the field of palliative care, concerning to gender and age. Practices in the organization of volunteering appear to be varied, however, the existence of a coordinator is constant in all teams .
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/14779
Aparece nas colecções:ICS(L) - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Adriana Vitorino.pdf1,83 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.