Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/14059
Título: Acolher a vulnerabilidade : reflexão antropológica e ética sobre o voluntariado no âmbito dos Leigos para o Desenvolvimento
Autor: Rodrigues, Maria de Fátima Marques
Orientador: Pinto, José Rui da Costa
Palavras-chave: Pessoa
Alteridade
Vulnerabilidade
Voluntariado
Responsabilidade pelo outro e responsabilidade com o outro
Person
Alterity
Vulnerability
Volunteering
Responsibility for the other and responsibility with the other
Data de Defesa: 2013
Resumo: O trabalho pretende perceber de que forma os Leigos para o Desenvolvimento acolhem a vulnerabilidade, no âmbito dos projetos que vêm desenvolvendo, em termos de voluntariado. É possível verificar a convergência de fatores diversos que fazem do voluntariado, realizado pelos Leigos para o Desenvolvimento, uma aposta numa nova esperança, onde a responsabilidade pelo outro é assumida com o outro: o voluntariado é aqui entendido, na linha de E. Lévinas (e outros autores), como resposta à fragilidade do outro que me interpela na sua nudez e não tanto como iniciativa generosa do eu. Acolher o outro na sua vulnerabilidade tem em conta os contributos do Concílio Vaticano II que colocou o papel do leigo na Igreja e no mundo, no âmbito de uma eclesiologia de comunhão. Por outro lado, o respeito devido a cada pessoa, preconizado pelo documento Vida em Missão, no âmbito de cada projeto desenvolvido, anda muito próximo das mais recentes perspetivas da Cooperação para o Desenvolvimento. Dada a vulnerabilidade do ser humano face ao futuro, os Leigos para o Desenvolvimento, assumem-se, na entrega ao outro sem reservas, como responsáveis pelo outro, no sentido de construírem com ele as condições necessárias à sobrevivência harmoniosa da humanidade sobre a terra.
This work intends to understand the way the Laypeople for Development accept vulnerability, in the projects they have developed, in terms of volunteering. It is possible to attest to the convergence of diverse factors that make the volunteering carried out by the Laypeople for Development a pledge for a new hope, where the responsibility for the other is taken on with the other: volunteering is understood, in the line of thinking of E. Lévinas (and other authors), as an answer to the fragility of the other that questions me in his nudity and not so much as the generous initiative of one’s self. Welcoming the other in his vulnerability takes into account the contributions of the Second Vatican Council that placed the role of the layperson in the Church and in the world within an ecclesiology of communion. On the other hand, the respect due to each person, advocated by the document Vida em Missão, as part of each project developed, is very close to the most recent prospects of the Cooperation for Development. Because of the human being´s vulnerability to tackle the future, the Laypeople for Development undertake the commitment of giving themselves totally to the other, being responsible for the other, in the sense of creating with him the necessary conditions for the harmonious survival of humanity on earth.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/14059
Aparece nas colecções:R - Teses de Doutoramento / Doctoral Theses
FF - Teses de Doutoramento / Doctoral Theses



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.