Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/13909
Título: Agón, Pathos, Katharsis : a memória das origens nos filmes de exílio de Andrei Tarkovsky
Autor: Brás, Rui Manuel da Costa Carvalho
Orientador: Gil, Isabel Capeloa
Data de Defesa: 2014
Resumo: Esta tese propõe-se estudar a memória das origens nos filmes de Andrei Tarkovsky realizados no exílio. Foi adotada uma abordagem empírico-dedutiva que parte das obras do realizador russo para a análise do seu conteúdo, recorrendo-se para isso aos métodos dos Estudos de Cultura e dos Estudos Fílmicos. Pressionado pela urgência de viver o presente, o homem moderno sente a necessidade de se ancorar no passado, de recorrer à memória como forma de evitar o esquecimento ou de refletir sobre a sua condição atual e futura. Este olhar sobre o passado não é estranho a Andrei Tarkovsky, cuja obra cinematográfica podemos considerar como um tempo de viagem tanto pela sua própria memória, como pela memória coletiva russa. Mas, à reflexão sobre o sentido do mundo que encontramos em todos os seus filmes, junta-se em Nostalgia e O Sacrifício um novo fator também relacionado com a memória e com não menor relevância cultural: o exílio. A presente tese tem como questão central da investigação a relação do homem no exílio com a sua pátria e o(s) modo(s) como a memória das origens está presente no processo de construção dos filmes que Andrei Tarkovsky realizou fora da Rússia. Os objetivos deste trabalho passam pelo entendimento da influência que a condição de exilado teve na elaboração de uma memória da Rússia e nas formas de expressão do sentimento de perda da pátria imaginada em Nostalgia e O Sacrifício. Assim, pretende-se mostrar que os dois últimos filmes de Andrei Tarkovsky são a expressão da memória das origens e da recusa em quebrar os elos culturais com uma Rússia imaginada que a condição de exílio fez reforçar ainda mais.
The aim of this thesis is to study the memory of origins in the films Andrei Tarkovsky directed in exile. The dissertation takes up an empirical-deductive methodology which discusses the works of the Russian director as a starting point to analyse their content, within the scope of Culture Studies and Film Studies. Pressured by the urgency of living the present, the modern subject feels compeled to create a relation to the past, to use memory as a way to avoid forggeting thus reflecting upon his present and future condition. This look over the past is not strange to Andrei Tarkovsky, whose work might be defined as a journey in time through his personal memory as well as through collective Russian memory. However, the reflexion on the meaning of the world which is key to understanding his films is affected in Nostalgia and Sacrifice by a new factor also related to memory and with no less cultural significance: the exile. This dissertion’s research question is the relationship between a man in exile and his fatherland, and the way(s) the memory of origins comes across in the filmic construction of works Andrei Tarkovsky directed in exile. Amongst the goals of this discussion is the understanding of the influence the condition of exile had in the elaboration of a memory of Russia, and in the forms Nostalgia and Sacrifice express the feeling of loss of the imagined country in. Thus, it was intended to show that Tarkovsky’s last two films are the expression of his invention of the memory of origins and of the refusal to break the cultural bonds to an imagined Russia which the condition of exile made even stronger.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/13909
Aparece nas colecções:FCH - Teses de Doutoramento / Doctoral Theses
R - Teses de Doutoramento / Doctoral Theses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese.pdf1,61 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.